O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD), Otávio Noronha, negou o pedido de reconsideração para revogar a liminar que liberou a presença de público nos jogos do Flamengo em competições nacionais.

O pedido havia sido feito por 17 clubes da Série A. Os únicos que não assinaram o documento foi o próprio Rubro-Negro, além do Atlético-MG e Cuiabá.

Segundo Noronha, não cabe ao STJD vetar a presença de público no estádio, mas sim aos estados do país.

"Com efeito, a atuação da entidade de administração do desporto em suas deliberações acerca de medidas relacionadas ao combate à Pandemia COVID-19, deve ser pautada e limitada à luz das regras basilares do Estado Democrático de Direito e de fundamentos Republicanos do nosso sistema jurídico-constitucional. Não cabe em princípio, à Entidade de Administração do Desporto, se imiscuir e negar vigência à execução do conjunto de medidas adotadas pelo Estado, para a retomada gradual das atividades – inclusive com reflexos na economia – por lhe faltar, além de competência, o adequado respaldo técnico e a legitimidade atribuída aos governantes democraticamente eleitos", diz um trecho do documento do STJD.

Com isso, o Flamengo poderá ter torcida em três eventos-teste. Nesta quarta-feira (15), pela volta das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Grêmio, mesmo adversário do dia 19, pelo Brasileirão.

A outra será no dia 22 do mesmo mês, diante do Barcelona de Guayaquil, pela ida da semifinal da Libertadores.