Iniciado no mês de março, o projeto de futebol feminino do Grêmio Esportivo Cruz de Malta, de Jaraguá do Sul, já começa a render frutos.

Duas jogadoras da base embarcam nesta terça-feira (24) para Porto Alegre-RS, onde vão participar de uma semana de testes no Grêmio, que busca incorporar seus elencos para disputa dos Campeonatos Brasileiro Sub-16 e Sub-18.

Indicadas pela treinadora da equipe jaraguaense, Luana Lima, as jovens Duélen Kniess, de 15 anos, e Pâmella Eduarda Silva Morais, 18, passarão por uma série de atividades no Tricolor.

Foto: Paulinho Sauer/Secel

E caso agradem a comissão técnica gremista, elas vão vestir a camisa do time gaúcho na competição nacional, que tem ambas as categorias marcadas para iniciar entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021.

À procura de uma lateral-direita e uma atacante para os torneios, o Grêmio viu no Cruz de Malta um grande potencial de meninas que pudessem suprir as carências.

O contato foi feito diretamente com a técnica Luana Lima, que optou pelo talento de Duélen e Pâmella, além da facilidade de ambas em atuar nas duas posições, para encaminhá-las ao tradicional clube brasileiro.

“Estou bem feliz, juntamente com a diretoria do Cruz de Malta, por saber que o trabalho está sendo visto. Torcemos para que a gente continue trazendo muitas Duélens e Pamelas para o projeto”, destacou Luana Lima, que vai acompanhar as atletas na ‘peneira’, juntamente com sua auxiliar Schaiane de Lima.

Técnica Luana Lima (C) vai acompanhar as atletas na 'peneira' | Foto: Paulinho Sauer/Secel

Histórias das jogadoras no futebol

Duélen nasceu em Francisco Beltrão, no Paraná, mas foi criada desde pequena em Jaraguá do Sul, onde cresceu e iniciou sua trajetória no futebol feminino.

Os primeiros treinos foram na Escolinha do Flamengo. Depois, ela ficou por um ano na Escolinha do Filipe Luís até chegar ao Cruz de Malta há seis meses.

Agora, ela tem a seletiva no Grêmio como a primeira grande oportunidade de dar um salto na carreira.

“Vou dar meu melhor e tentar me destacar. Ficar num time grande igual o Grêmio, com certeza, é um sonho. Mas se eu não ficar por lá vou voltar com experiência e mais incentivo para trabalhar mais e me preparar melhor”, declarou.

Foto: Paulinho Sauer/Secel

Já Pâmella é natural de Ituiutaba, no interior de Minas Gerais. A jogadora trilha caminho nos gramados desde 2012 e até passou em duas ‘peneiras’ do Corinthians no ano passado, mas a passagem foi rápida pela equipe paulista.

Em 2020, jogou a Copa Rainha Marta, em Alagoas, pelo time Guarani (Núcleo de Capitação do Grêmio), antes de acertar com o Cruz de Malta em agosto para jogar o Estadual Sub-18 e Jasc, que acabou sendo cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus.

Mesmo assim, ela vinha treinando no Cruz de Malta e mora no alojamento do clube, até receber esse convite do Grêmio.

“Estou feliz de estar indo para um grande time do Sul do país. As expectativas são extremas. Chegando lá vou me dedicar ao máximo para ficar e jogar no Brasileiro, e também se destacar para permanecer no time, que seria um sonho”, afirmou.

Foto: Paulinho Sauer/Secel

 

Telegram Jaraguá do Sul