Nas seis defesas de cinturão até então, Valentina Shevchenko nunca passou por tantas dificuldades como na madrugada deste domingo (12) contra Taila Santos.

No UFC 275, em Singapura, a catarinense de Jaraguá do Sul ficou muito perto de finalizar a adversária algumas vezes. Porém, a campeã resistiu, dominou a luta em pé e venceu por decisão dividida (48-47, 47-48, 49-46), mantendo o título do peso-mosca.

“Eu vim aqui, dei meu máximo, e pode ter certeza que esta não vai ser a última vez que vocês me veem lutar pelo cinturão. Eu esperava uma luta dura, mas dei tudo de mim aqui e estou preparada para a próxima”, disse Taila ao final da luta.

Mesmo com a derrota – apenas a segunda em seu cartel no MMA profissional -, a lutadora de 28 anos deixou o octógono sob aplausos do público.

Não só por bater de frente com a oponente do Quirguistão, o que nunca havia acontecido na divisão, mas também pela garra apresentada pela jaraguaense.

Principalmente após um choque de cabeças, que deixou o seu olho direito praticamente fechado no início do quarto assalto. Mesmo com a dificuldade na visão, ela foi valente, conseguiu algumas quedas e levou o combate até a decisão dos juízes.

“Eu já não conseguia ver nada no terceiro round. Tentei manter o olho aberto e estava vendo duas Valentinas, então fechei”, afirmou.

Com 19 vitórias e agora duas derrotas, Taila Santos aguarda a organização definir seu próximo desafio no evento.

Já Shevchenko, que soma 23 triunfos e três revezes, chega a nove vitórias consecutivas nos moscas, sendo a sétima defesa de cinturão.

Trajetória no UFC

Depois de estrear no UFC com derrota para a italiana Mara Romero Borella em 2019, Taila conquistou o direito de disputar o título dos moscas ao engatar quatro vitórias convincentes, que a colocaram no quarto lugar da categoria.

Nesse período, bateu a inglesa Molly McCann, a canadense Gillian Robertson, a norte-americana Roxanne Modafferi, e, por último, a escocesa Joanne Wood, com uma expressiva finalização no primeiro round, no dia 20 de novembro do ano passado.

Agora, perde na disputa do cinturão para Valentina Shevchenko, mas deixa a luta com moral pelo desempenho apresentado no octógono.