Um dos brasileiros no UFC, Paulo Borrachinha foi conduzido à delegacia após ser acusado de dar uma cotovelada em uma enfermeira por causa de um cartão de vacinação. O caso aconteceu em um shopping de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com informações da Guarda Municipal, o lutador foi até a sala de aplicação de vacinas contra a Covid-19 e falou que gostaria de se vacinar.

"Foi realizado o preenchimento do cartão. As trabalhadoras contaram que, na hora da aplicação, ele não aceitou se vacinar, queria sair com o cartão e elas não aceitaram. Nesse momento, uma enfermeira levou uma cotovelada", contou o guarda Marco Mota.

Borrachinha, porém, deu outra versão ao guarda municipal. "Ele afirmou que tomou a vacina, mas as enfermeiras não deixaram ele sair com o cartão. Ele disse que gerou um estresse, ele pegou o cartão e saiu. Nesse momento, uma enfermeira o agarrou pelo braço e ele se desvencilhou. Ele não fala de cotovelada", disse.

Todos os envolvidos foram encaminhados à Delegacia de Plantão de Contagem. O lutador foi ouvido e liberado.

Já a enfermeira ficou com inchaço nos lábios, mas não precisou de atendimento médico e manifestou interesse em representar criminalmente em desfavor do lutador.

Foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), em que as partes assumiram o compromisso de comparecer em audiência perante o Juizado Especial Criminal do município.