O Secretário de Saúde de Florianópolis jogou um balde de água na fria nas pretensões de Avaí e Figueirense em jogar em seus estádios as fases decisivas do Campeonato Catarinense. Em entrevista à rádio CBN Diário, Carlos Alberto Justo da Silva, o Dr. Paraná, disse que o futebol profissional na Capital só deve ser liberado no final de agosto. Como a Federação Catarinense de Futebol já marcou o reinicio da competição para 8 de julho, a dupla da Capital teria que procurar outro campo para mandar seus jogos.

“Nós temos que cumprir o planejamento que foi feito. Estamos dois meses atrasados em relação ao que vem acontecendo na Europa, então para evitar que tenhamos que ir e voltar das decisões só podemos pensar em futebol a partir de final de agosto”, projetou o secretário.

Primeiro colocado na classificação geral da competição na fase de classificação, o Avaí tem, pelo regulamento, o direito de fazer o jogo decisivo das quartas-de-final na Ressacada – e se avançar à semifinal e final, também.

“Nós respeitamos as autoridades de saúde e o prefeito de Florianópolis. Não queremos briga com ninguém, mas nosso estádio é a Ressacada e não vamos jogar em outro lugar. Se a decisão da FCF for mantida o Avaí abre mão do campeonato”, disparou Marquinhos Santos, gerente de futebol e ídolo da torcida avaiana.

Já o Figueirense, embora não tenha apresentado nenhuma nota oficial, deve seguir posição contrária e se não puder jogar no Scarpelli vai buscar outro lugar para jogar.

A diretoria do Figueirense indicou o estádio Avante, no Bairro Pachecos, em Palhoça, mas em vistoria a FCF não autorizou a realização de partidas oficiais no local. Outra opção é o gramado do CFT do Cambirela, também em Palhoça.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp