Seja nas pistas, quadras ou campos, o atleta convive com muitas vitórias e derrotas. Porém, não foi exatamente em uma competição que o jaraguaense Ivanildo de Souza Pinto encarou a prova mais difícil de sua carreira. Em outubro do ano passado, o atleta multicampeão no atletismo recebeu o diagnóstico de um câncer na parótida esquerda (glândula salivar). Mas o susto deu lugar rapidamente a maior vitória de sua vida. Em pouco mais de um mês após a cirurgia, o velocista voltou a treinar e agora está muito perto do seu retorno oficial a campeonatos.

Quer receber notícias do OCP News no WhatsApp? Clique aqui

A volta as atividades veio de forma gradativa. E não poderia ser diferente. Com 12 kg perdidos desde que descobriu a doença e ficou completamente debilitado, ele chegou a temer pelo pior. “Quando descobri o câncer temi tudo, até a morte. Mas o Dr. Kauê (médico) fez um grande trabalho na cirurgia, e quando acordei e estava vivo, já comecei a planejar o que iria poder fazer e se poderia treinar novamente”, disse. Depois de 31 sessões de radioterapia e quatro de quimioterapia, o médico o autorizou a treinar, conforme a aceitação do corpo.

Ivanildo vem treinando de duas a três vezes por semana na pista de atletismo I Foto: Eduardo Montecino/OCP

Desde então, passou a desenvolver movimentos em uma arte marcial para recuperar a energia, realizar algumas caminhadas na pista de atletismo e visitar frequentemente uma nutricionista para auxiliar na alimentação. Com o passar do tempo, a carga foi aumentando e os treinos de lançamento de dardo foram incluídos. Hoje, com atividades de duas a três vezes por semana, além de uma preparação muscular feita em casa, ele já recuperou 10 kg e 85% de sua condição física.

Algumas sequelas da cirurgia permaneceram no lado esquerdo do corpo, como a perda parcial da visão, uma pequena paralisia no rosto e os reflexos prejudicados do braço. Mas o simples fato de estar nas pistas traz uma sensação indescritível ao atleta que completou 63 anos na semana passada. “Estou trabalhando abaixo do que estava acostumado para não me sacrificar muito, mas está tudo andando como eu esperava. Esses sintomas não são nada em comparação a gravidade da doença. O mais importante é que estou me sentido bem por estar vivo. Por ser um câncer maligno fico na expectativa de isso não voltar. Mas a alegria é enorme em poder estar treinando, curtindo cada momento e rever os amigos”, destaca Ivanildo.

Retorno a competições

A preocupação no início da doença se transformou em determinação, e juntamente com os treinos, Ivanildo se prepara para voltar a ser um campeão nas pistas. Com a evolução apresentada no lançamento de dardo, o jaraguaense já tem a primeira competição marcada para este ano. No dia 14 de abril, o atleta estará em Florianópolis, onde disputa o Festival Catarinense Master. Mas ele quer mais. Dependendo do resultado no Estadual e sua recuperação física, a meta é retornar aos eventos internacional. “Nessa competição vou ter a real ideia de como vou estar. Uma coisa é treinar, outra é competir que envolve muitos fatores. Cada campeonato será uma avaliação pessoal para ver se posso competir em eventos mais fortes”, declarou.

Com isso, a ideia é estar presente em três importantes provas até dezembro: Grand Prix da Mercosul, na Argentina; Torneio Internacional, no Paraguai; e Mundial em Málaga, na Espanha. Nesse último, a preferência é competir na sua especialidade, a corrida com barreiras, modalidade na qual retomou os treinos há apenas três dias. “O salto com barreira é mais agressivo em relação a capacidade física. O dardo não é tanto, mesmo tendo movimento dinâmico. Esse Mundial se eu estiver correndo a barreira é mais fácil de ir, porque estou dentro dos cinco melhores no ranking. Se não tiver condições, teria que ir no dardo que é muito mais difícil, porque pela perda de força fico aquém do nível dos adversários”, ressaltou.