As camas feitas de papelão nas Olimpíadas repercutiram bastante nas redes sociais nos últimos dias. Os motivos variam entre evitar relações sexuais entre os atletas, questões de sustentabilidade e evitar propagação da Covid-19 na Vila Olímpica.

O ginasta irlandês Rhys McChenaghan publicou um vídeo pulando e garantindo que a cama é resistente.

"As camas deveriam ser antissexo. Elas são feitos de papelão, sim, mas aparentemente foram feitos para quebrar com movimentos bruscos. É falso! Notícia falsa!", disse Rhys, em tom humorado.

Logo em seguida, o perfil oficial das Olimpíadas respondeu o atleta e brincou com a situação

"Obrigado por desmascarar o mito. As camas sustentáveis de papelão são resistentes", postou o COI.

 

Em janeiro, a empresa fabricante da cama, Airweave, explicou que a cama foi projetada para suportar até 200 quilos e que passaram por rigorosos testes de estresse.

Foto: Reuters.

"Conduzimos experimentos, como jogar pesos em cima das camas. Contanto que fiquem com apenas duas pessoas na cama, devem ser fortes o suficiente para suportar a carga" explicou um porta-voz da Airweave.