Uma ofensa racista em um jogo de futebol na cidade de Witmarsum, no Vale do Itajaí, acabou na Justiça.

O caso aconteceu em uma semifinal de campeonato de futebol amador em 2015, quando um atleta começou provocando seu adversário ao chamá-lo de “bonequinha”.

Inconformado, o acusado atacou o rival de time o chamando de “preto sujo” e “macaco”.

Ele foi condenado a prestar serviços comunitários e tentou absolvição no Tribunal de Justiça de Santa Catarina, mas a sentença foi mantida.

“O contexto probatório reunido deixa claro que o apelante agiu com a intenção de denotar uma suposta inferioridade, ofendeu o decoro da vítima”, apontou o desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul