Em julgamento realizado nesta terça-feira (13), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Vôlei advertiu Carol Solberg por ter gritado "Fora, Bolsonaro" durante transmissão ao vivo, após conquistar a medalha de bronze na primeira etapa do Circuito Brasileiro de vôlei de praia.

A decisão foi com base no artigo 191, que faz alusão ao cumprimento do regulamento da competição: "deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento de regulamento, geral ou especial, de competição".

Assim, a atleta está liberada para disputar a próxima etapa do torneio, ao lado da parceira Talita, que inicia nesta quinta-feira (15), no Centro de Treinamento em Saquarema-RJ.

Ela corria o risco de receber multa entre R$ 100,00 e R$ 100 mil, ser vetada de competir de uma a seis partidas ou até ser suspensa de 15 a 180 dias.

“Eu estava em Saquarema jogando minha primeira etapa depois de tanto tempo sem jogar por causa da pandemia. Estava jogando terceiro lugar, tinha acabado de ganhar, estava muito, muito feliz de estar retornando ao pódio. Estava muito feliz de ter ganhado o bronze e, na hora de dar minha entrevista, apesar de toda alegria ali, não consegui não pensar em tudo o que está acontecendo no Brasil, todas as queimadas, a Amazônia, o Pantanal, as mortes por Covid e tudo mais, e meio veio um grito totalmente espontâneo de tristeza e indignação por tudo o que está acontecendo” disse Carol em depoimento.

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul