Ao começar o atletismo da 31ª edição dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, na quarta-feira (18), em Curitibanos, uma das provas mais aguardadas da competição era a dos 100 metros com barreiras. Isso porque participaria dela um dos grandes talentos surgidos nos últimos anos: Micaela Rosa de Melo, 18 anos, de São José, recordista da prova em 2017 e atual recordista brasileira sub-23.

Após o tiro de partida da arbitragem lá estava Micaela cruzando a linha de chegada em primeiro lugar com o tempo de 14s34, novo recorde, fazendo, portanto, jus ao favoritismo e a grande expectativa em torno dela. A melhor marca da prova nos Joguinhos já pertencia a ela: 14s45.

Nesta edição, ela conseguiu baixar 11 centésimos. Entretanto, por ser pista de carvão, o tempo foi inferior à marca dela no recorde brasileiro, que foi de 13s59 obtido na pista sintética do Campeonato Brasileiro Interclubes, realizado recentemente em Porto Alegre.

Entre as 12 melhores do mundo

Mas para estar ali no pódio recebendo mais uma medalha de ouro no peito, a menina prodígio teve que enfrentar uma verdadeira maratona, ou via-crucis, como queira. Explica-se. Ela havia acabado de desembarcar de Helsinque, na Finlândia, onde participou do mundial de atletismo sub-20, ficando entre as 12 melhores atletas do mundo.

Saiu de lá rumo ao Brasil na manhã de segunda-feira, dia 16, e só conseguiu voltar na noite de quarta-feira, dia 18, ou seja, ficou quase três dias pernoitando em aeroportos por conta escalas, cancelamentos de voos, fechamentos de espaço aéreo devido à presença do presidente americano Donald Trump.

“Em Helsinque, o aeroporto ficou fechado por duas horas devido ao pouso do avião do presidente americano. Veio a reação em cadeia, pois perdi a conexão para o aeroporto de Londres, e aí atrasou tudo. Dormi em aeroportos e fiquei quase três dias tentando chegar para disputar os Joguinhos. Por fim, ainda tive que fazer uma viagem de quatro horas  entre Navegantes e Curitibanos e vencer esta prova”, enfatizou a campeã.

Campeã mundial escolar 2017

Micaela, ao lado da joinvilense Tamires de Liz, é uma das grandes revelações do atletismo catarinense nos últimos cinco anos. Entre seus feitos estão: campeã mundial escolar em 2016, na Gymnasiade da Turquia; vice-campeã mundial escolar 2017, na França; e campeã brasileira escolar 2017. Nos Joguinhos, em 2016, foi ouro nos 100 e nos 400 metros com barreiras, além de ouro no revezamento 4x400. Em 2017, venceu os 100 e os 400 metros com barreiras.

Sobre a participação no mundial ela foi enfática: “Gostei do meu resultado no mundial. Competir com americanas, canadenses e jamaicanas não é fácil. A competição estava muito forte, mas gostei do meu desempenho, pois ganhei experiência para as próximas competições”.
Já sobre os Joguinhos admitiu cansaço. “Não foi fácil chegar até aqui, mas, devido às circunstâncias, gostei do meu resultado. E disputar os Joguinhos é sempre bom, pois é uma oportunidade de rever os amigos do atletismo", concluiu.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?