O Avaí fez reclamações do árbitro Rafael Traci após a derrota para a Chapecoense por 2 a 1, na última quinta-feira (11), em jogo atrasado da segunda rodada do Campeonato Catarinense, realizado em Itajaí.

Segundo o clube, Traci chamou o atleta Bruno Silva de "palhaço", ainda no primeiro tempo, enquanto o delegado da partida, Marco Antônio Martins, diretor de arbitragem da Federação Catarinense de Futebol (FCF), chamou o técnico Claudinei Oliveira de bobo.

“É difícil, temos que tomar cuidado com o que fala, porque pode voltar contra a gente. Hoje foi esquisito. Tinha o delegado do jogo, que está ali para ver o que acontece, e muitas vezes estava dando razão ao Traci. No jogo de hoje (quinta-feira), ele interferiu no resultado. Durante o primeiro tempo, ele falou para o Bruno Silva “não seja palhaço”. Hoje, além dos erros, faltou um pouco de respeito com os atletas”, disse Claudinei após o confronto.

O treinador avaiano também culpou o árbitro como o grande responsável pela derrota do Leão para a Chape.

“Hoje o placar foi 2 a 1 para o Rafael Traci. O primeiro gol saiu de um gol que o lateral era nosso. O quarto árbitro avisou o Traci e ele deu lateral para a Chapecoense. E o lance do pênalti, só pela reação do Betão, que tem o perfil de assumir os erros, deu para ver. Um pênalti inexistente. Alguns jogadores da Chape, não vou citar os nomes, me falaram que os gols deles não eram pra acontecer, que o árbitro foi mal. Mas a Chape não tem culpa. Perdemos por causa da arbitragem”, afirmou.