Cirurgia, hemorragia, anemia e pneumonia. Tudo isso não impediu a jaraguaense Jakcely TerezaWosniak de completar a Corrida Internacional em São Silvestre, no dia 31 de dezembro de 2019.

No início do ano passado, Jakcely começou a se preparar para a prova, que era o seu grande sonho na época. Estava tudo certo para sua participação, eis que ela teve um problema. Em outubro, a corredora precisou fazer uma cirurgia de desvio de septo nasal para facilitar sua respiração.

Porém, Jakcely teve problemas na hora cirurgia que ainda nem foram totalmente esclarecidos. Os médicos somente disseram que aconteceu uma hemorragia e ela precisou voltar ao centro cirúrgico.

"Precisei receber sangue. Fiquei dois dias no hospital e mais 30 dias se recuperando em casa", conta.

Nesse período, ela teve anemia muito forte e pneumonia. Depois do período que ela passou em casa, tentou voltar a treinar, mas não conseguia nem sequer caminhar direito. Mas ver o seu grande sonho, que estava tão perto, escapar da sua mão não era uma opção.

"Comecei a procurar pessoas para treinar e tive colaboração de muita gente. Tive de novembro até dezembro para me recuperar".

No último mês do ano, Jakcely tirou 30 dias de férias e ficou todos os dias treinando, sempre precisando passar no cardiologista. Depois de muita luta, ela embarcou para São Paulo e disputou a prova de São Silvestre.

"Consegui fazer a prova em uma hora e meia. Foi uma experiência bacana, porque são corredores do Brasil inteiro que estão lá", destaca.

Jakcely disse que os grupos jaraguaenses que foram para São Paulo não encontraram outra mulher de Jaraguá do Sul na prova, mas ela relatou não ter certeza se era a única mulher mesmo. Por último, ela deixa uma mensagem de apoio as pessoas que tiverem quaisquer dificuldade no percurso.

"Mesmo que surjam dificuldades no seu caminho nunca desistam dos seus sonhos", destaca.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger