Superação é uma palavra que faz parte da vida do alpinista jaraguaense Hélio Fenrich, 40 anos. Após escalar sozinho os 5.640 metros da montanha Elbrus, na Rússia – a mais alta do continente europeu – ele se programa para a terceira expedição, dessa vez no Alasca, em maio de 2017. Hélio, que retornou a Jaraguá do Sul na madrugada de sexta-feira, afirma que pretende retomar o treinamento físico na próxima semana, paralelamente às atividades profissionais. É preciso determinação, já que o “Projeto 7 Cumes – SC no Topo do Mundo” será concluído apenas em 2021. Alpinista - em (2)

Hélio, de novo ao Vale do Itapocu, costuma escalar morros e fazer condicionamento físico especial - Foto: Eduardo Montecino/OCP

A façanha do montanhista, que venceu uma gripe recorrente, diferença de seis horas no fuso horário, sono e sensação térmica de até 15 graus negativos, ainda está repercutindo nas redes sociais e na mídia nacional. A jornada solitária iniciou dia 26 de junho, ao embarcar por Curitiba até o solo russo. Hélio esclarece que decidiu antecipar o processo de aclimatação no vilarejo de Tekskol, previsto parar durar até 5 de julho, em função das previsões meteorológicas. Na jornada, contou com o auxílio do telefone por satélite e de um oxímetro – dispositivo médico que mede a quantidade de oxigênio no sangue. “Meia-noite do dia 2 vi o céu estrelado e comecei a subida”, conta.
Foto: Arquivo pessoal Hélio Fenrich
Foto: Arquivo pessoal Hélio Fenrich
  No caminho, o montanhista encontrou três grupos. “Cheguei uns 15 minutos antes deles no topo. Senti mais cansaço na descida. Parei por uns segundos, fechei os olhos e cochilei. Senti que tinha de sair dali rápido, antes de pegar no sono. Cheguei de volta às 10h”, relata Fenrich. E como ele se sente, após mais essa conquista? “Estou bem tranquilo. É um projeto de superação, não de vaidade pessoal”, enfatiza. Depois de escalar a montanha Denali, no ano que vem, o projeto contempla ainda os picos do Kilimanjaro, na África, em 2018, Everest, no Nepal, em abril de 2019, a pirâmide de Carstensz, na Oceania, em agosto de 2020, e por último o monte Vinson, na Antártica em 2021. Se tiver patrocínio, Hélio Fenrich, pretende cumprir duas etapas a cada ano. Mais detalhes sobre esse desafio no site no www.7cumes.com.