Rodrigo Nascimento, de Itajaí, deve ser um dos representantes do Estado nos Jogos de Tóquio | Foto Divulgação
Rodrigo Nascimento, de Itajaí, deve ser um dos representantes do Estado nos Jogos de Tóquio | Foto Divulgação

Considerado o homem mais rápido de Santa Catarina, Rodrigo Nascimento precisou refazer seus planos para os próximos meses após o adiamento Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 para 2021, anunciado na última terça-feira (24).

O atleta de Itajaí estava muito próximo de alcançar o índice de 10s05 para os 100m rasos, que o colocaria na competição.

“Sabemos que o adiamento era a coisa certa a se fazer. Estava treinando desde novembro para conseguir a classificação. Assim como outros atletas, também abri mão de muitas coisas em busca deste objetivo, mas agora é hora de virar essa página e pensar em outros objetivos. Conversei com meu treinador e decidimos que o foco agora é conseguir marcas mais expressivas para este ano”, disse.

Foto @frac.tal

Apesar da mudança no planejamento, o velocista reforçou a importância da população em controlar o coronavírus.

“Peço a todos que não se lamentem pelo adiamento das Olimpíadas, agora é hora de traçarmos novos planos. Peço que cuidem de si e de suas famílias para que tudo isso acabe logo”, ressaltou.

Aos 25 anos, Rodrigo carrega no currículo os títulos de campeão no Pan-Americano de Revezamento 4x100m, Mundial de Revezamento no 4X100; e Sul-Americano nos 100m rasos.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger