Quando falamos do esporte de Jaraguá do Sul, logo vem à tona o futsal. Não é para menos. Hoje, a cidade que elegeu o salonismo como a principal paixão local, orgulha-se dos feitos de uma história rica de títulos. Um crescimento espantoso, iniciado neste século que levou o município a ser reconhecido mundialmente, pelas mais de 50 taças levantadas em competições a nível nacional e internacional. Mas antes de tornar-se uma potência na modalidade, o passado do futsal jaraguaense acumulou grandes momentos que merecem ser recordados e alimentam a camisa de um dos mais tradicionais clubes do país. Tudo começou em 1959, quando um grupo de seis jovens atletas se reuniam para jogar futebol no Clube Atlético Baependi e já carregavam uma pequena experiência no esporte da bola pesada, ainda pouco difundido naquela época no Estado. Até que um certo dia, o grupo formado por Rainer Wiele, Norberto Piazera, Elizaldo Leutprecht, Guido Fischer, Zico Rocha e Francisco Schiochet, o ‘Chiquito’, decidiram ingressar ao futebol de salão com uma atividade no Colégio Marista São Luís, onde encontraram estudantes do Colégio Paranaense e fizeram sua primeira partida da história, que terminou com uma goleada por 12 a 0 para os jaraguaenses.
Primeiro time jaraguaense na história, em 1959. Em pé: Elizaldo, Rainer e Piazera. Agachados: Zido, Guido Fischer e Chiquito I Foto: Arquivo/José Augusto Caglioni
A partir daí, a modalidade se proliferou rapidamente na região e começaram a surgir algumas equipes representantes de Jaraguá do Sul, Guaramirim e Corupá. O sucesso era tanto, que em uma união de esforços entre jogadores e Baependi, foi inaugurada no próprio clube a primeira quadra oficial na cidade, que levou o nome de Alfredo Krause, responsável por doar toda iluminação. Esse é lembrado como o grande pontapé inicial do futsal de Jaraguá do Sul, que fez sua estreia em campeonatos no ano de 1962, com a disputa do 3º Jogos Abertos de Santa Catarina, em Blumenau.

Transformação

O futsal mundial sofreu por uma constante evolução nas décadas de 70, 80 e 90. E buscando se adequar a estas mudanças, o salonismo jaraguaense passou por uma grande reformulação, a partir de 1992. Com o objetivo de tornar a equipe em uma grande referência no Estado, surgiu a Associação Desportiva Jaraguá, presidida por Ivo dos Anjos e uma diretoria formada por Valdir Chiodini, José Olivio Papp, Dorval Franzner, Rogério Lauro Tomazelli, Cilo Junckes, Assírio Carlos Ramthun, Sérgio Kuchenbecker, Jean Carlo Leutprecht, Raimor, Hercílio Mendonça da Rosa e Afonso da Costa Filho. Na mesma década, houve a criação da Associação Amigos do Esporte, através de Carione Pavanello, o Cacá, Sérgio Luís da Silva e Osny Matheussi. Em pouco tempo, o time passou a contar com o patrocínio de empresas fortes na cidade, iniciando com a Darpe Malhas e depois com Breithaupt e Caraguá, além do apoio da Prefeitura Municipal. Assim, foi galgando gradativamente seu espaço até conquistar o primeiro bicampeonato estadual entre 1999 e 2000, no Ginásio do Sesi, e posteriormente os Jogos Abertos de Santa Catarina.
Equipe campeã em 1999, no Ginásio do Sesi I Foto: Divulgação