Todos os anos celebramos no dia 2 de novembro o Dia dos Finados. Os cemitérios de todo país ficam cheios, pois esta é uma data que mexe com a emoção de todos que já perderam algum ente querido, e aproveitam o dia para prestar uma homenagem rezando e levando flores aos que já partiram.

A tradição de celebrar o Dia dos Finados começou pela Igreja Católica no fim do Século X (10), na Bélgica, mas apenas no início do Século XIV (14), que a data foi oficialmente sancionada para esse fim.

Segundo o Reitor do Seminário Diocesano Nossa Senhora do Caravaggio, Padre Gilson Pereira, as flores em Dia dos Finados significam admiração. “Nesta data significativa, levar uma flor ao cemitério é como se quiséssemos entregar aos mortos que admiramos nosso amor nosso carinho e lembrar os momentos de alegria que passamos ao lado dessa pessoa, a flor é a manifestação da expressão da saudade”, relata.

No ramo da floricultura há três anos, a empresária Ana Cristina Machado, destaca o aumento das vendas em época de Dia dos Finados. “Durante todo o ano nós atendemos a velórios e existem alguns clientes que sempre compram flores para levar ao cemitério, mas no mês do Dia dos Finados nossa produção aumenta consideravelmente”, destaca.

O aumento na produção de arranjos de flores, faz com que a empresária contrate freelances para a data da celebração. “Hoje nós temos a nossa loja que fica aberta o ano todo, mas nesse ano no Dia dos Finados, além da loja nós vamos estar em três cemitérios aqui de Criciúma”, relata. “Para o Dia dos Finados, 70% das flores que temos na loja são os Crisântemos, e os valores variam de R$ 15,00 a R$ 40,00”, finaliza a empresária.

A forma como tratamos os falecidos revela a maneira como cuidamos dos vivos, porque expressa o valor que damos à vida”, ressalta o Pe. Gilson Pereira.