Uma caixa com 12 garrafas de vinho ficou armazenada por 14 meses na Estação Espacial Internacional (ISS). O feito foi protagonizado pela casa de leilões Christie's, no Reino Unido e a empresa europeia Space Cargo Unlimited.

As garrafas foram envelhecidas em um ambiente cuidadosamente monitorado e controlado. A intenção foi avaliar como alimentos e bebidas desenvolvem o processo de maturação no espaço.

O rótulo enviado é o vinho francês Pétrus 2000, produzido com uva Merlot.

O vinho passou quase 440 dias no espaço. Ele partiu para a ISS em 2 de novembro de 2019 em uma espaçonave conhecida como cápsula Cygnus e retornou em 14 de janeiro de 2021, a bordo de uma cápsula Dragon, fabricada pela SpaceX de Elon Musk.

Doze especialistas e cientistas do Instituto de Ciências da Vinha e do Vinho (ISVV) da Universidade de Bordeaux na França tiveram a oportunidade de provar o vinho espacial.

Segundo a casa de leilões, o instituto concluiu que as garrafas “suportaram positivamente todas as restrições de preparação, viagem e armazenamento na ISS”.

Como você deve estar curioso para saber sobre o gosto do vinho depois da experiência espacial, a Christie's informou que os pesquisadores perceberam “diferenças notáveis ​​nos componentes de cor, aroma e sabor” entre as garrafas celestiais e os equivalentes que permaneceram na Terra.

Uma única garrafa será leiloada e a expectativa é que atinja o valor de venda de 1 milhão de dólares, que será destinado para financiar futuras missões relacionadas às pesquisas agrícolas no espaço. Se essa expectativa se confirmar, pode se tornar o vinho mais caro já vendido.

Mas a versão terráquea do Pétrus 2000 também não é exatamente barata, sendo vendida por 10 mil dólares.