A charmosa Corupá é um verdadeiro quebra-cabeça de belas paisagens. Por trás das altas plantações de banana ou no fim de simpáticas estradas de terra, sempre há algo novo para se descobrir. Desta vez, o destino foi o Vale dos Búfalos, um lugar pouco conhecido e que desperta a curiosidade pelo nome singular.

Vale é pouco conhecido na região | Foto Eduardo Montecino/OCP News
Vale é pouco conhecido na região | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Sem encontrar resultados precisos sobre o local nos mecanismos de busca da internet - mesmo em dias em que tudo parece estar catalogado em mapas virtuais -, a equipe de reportagem do OCP conseguiu confirmar a existência e o endereço do Vale dos Búfalos apenas na Prefeitura de Corupá. No famoso boca a boca.

Vale dos Búfalos conta com uma beleza natural exuberante | Foto Eduardo Montecino/OCP News

O Vale está localizado na comunidade Pedra de Amolar Alto, em uma região conhecida como Faxinal. A área também abriga pontos turísticos como a Prainha da Oma e a Cachoeira do Faxinal. O acesso é feito por uma estrada de terra às margens da BR-280.

Ao longo do caminho, pode-se até duvidar da existência de um vale naquela região: as montanhas imponentes cercam a paisagem e as matas enchem os pulmões de ar puro. A copa das árvores completam o cenário.

Região ainda conta com paisagens que remetem à outras épocas | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Mais adiante, após mais uma das inúmeras curvas, a explicação para o "vale" vem à tona. Uma vista ampla, onde o verde do gramado se mistura com os galhos das árvores ao redor e faz divisa com o azul de um dia ensolarado.

À esquerda, é possível ver algumas construções de madeira na cor azul. É ali que se encontra a explicação para o "búfalos". Quem conta a história é o caseiro Ari de Ramos, de 58 anos. Ele é o responsável por cuidar do local há 24 anos.

O fim na correnteza

Ramos relembra que na década de 1990 existia uma criação de búfalos na propriedade, pertencente ao industrial Ditmar Muller, que mora em Jaraguá do Sul. "Eram uns 35 búfalos e mais algumas cabeças de gado nelore", recorda.

Conforme relato do caseiro, por volta de 1998, um triste episódio fez com que quase 20 búfalos morressem. "Tiveram que mudar o percurso do rio que costeava a rua porque estava desmoronando. O rio passou a cortar o pasto onde ficavam os bichos", conta o caseiro.

Travessia de rio marcou a tragédia com os búfalos do lugar | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Uma búfala convivia entre o gado nelore porque tinha se acostumado com os bichos. "Naquele ano, uma chuva muito forte fez com que o rio transbordasse e o filhote dessa búfala foi levado para água. Ela acabou indo para o rio tentando salvá-lo. No instinto, outros búfalos foram naquela direção", lamenta Ramos.

O proprietário da criação ainda completa que os animais foram parar em Barra Velha por causa da correnteza. A partir daí, a região começou a ser chamada de Vale dos Búfalos. Muller continuou com a criação até poucos anos atrás, mas agora se dedica ao cultivo de eucalipto.

Vale é muito apreciado por trilheiros e aventureiros | Foto Eduardo Montecino/OCP News

O corupaense Gerson Baier, 18 anos, não era nascido quando o fato aconteceu, mas lembra que quando era criança chegou a ver alguns dos búfalos que sobreviveram.

Hoje, ele é uma das pessoas que seguem em direção ao vale fazer trilhas e apreciar a paisagem. O trecho está incluído em rotas da região.

Como chegar?

Permaneça na Estrada Pedra de Amolar, que você pode acessar pela BR-280. Logo após passar a entrada do Restaurante Prainha da Oma haverá uma bifurcação na estrada, pegue a direita, passando por uma pequena ponte de madeira.

Cerca de 160 metros à frente, uma pequena estradinha à direita revela o começo da subida em meio à mata.

A estrada vai serpenteando em um zigue-zague por algo em torno de três quilômetros. O fim da estrada revela o vale. Seguindo mais adiante fica a Cachoeira do Faxinal.

Veja no mapa com saída do Terminal Urbano de Jaraguá do Sul:

Como era cuidar de búfalos?

O caseiro Ari de Ramos tem boas lembranças de quando cuidava dos búfalos. Ele conta que os animais não sofrem com muitas doenças e são resistentes. Por isso, o búfalo acaba sendo mais rentável do que outros animais de leite.

Bufálos viveram na região durante os anos 1990 | Foto Divulgação

As fêmeas, por exemplo, vivem por mais tempo e produzem até 25 crias ao longo da vida reprodutiva. "Das 9h até a noite, eles ficavam no brejo. À noite, eles comiam. São animais selvagens, mas já tinha um jeito de lidar e acalmar eles", explica Ramos.

Lugar para passeios turísticos

O Vale dos Búfalos é rota para caminhadas e passeios ciclísticos. Além da riqueza histórica, a região tem uma grande beleza natural.

Vale dos Búfalos é um ponto turístico não tão conhecido que vale a pena ser explorado em Corupá | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Alguns dos atrativos a serem contemplados são: a área do vale, as montanhas, uma cachoeira e árvore que corta a estrada de chão.

Quer receber as notícias no WhatsApp?