Guardar um espaço na mala para as encomendas de parentes e amigos já é uma prática comum para quem costuma viajar ao exterior. E, com os avanços da tecnologia e surgimento de novos mercados é possível transformar esse hobby em negócio próprio.

Uma boa alternativa para assumir a “profissão viajante” é apostar na economia compartilhada — iniciativa que tem crescido muito nos últimos anos.

Para se conectar ao maior número de pessoas ao redor do mundo o viajante pode se cadastrar em Apps de compartilhamento de bagagens.

Um exemplo no Brasil é o Grabr, que está disponível em mais de 120 países que conecta viajantes a compradores e possui mais de 1,3 milhões de usuários cadastrados na plataforma.

O aplicativo conta com um programa de “recompensas”, que permite ao viajante monetizar suas viagens: ao trazer produtos dentro do espaço livre de suas bagagens, o viajante recebe uma bonificação, que é calculada pelo próprio App com base no preço do produto e pode ser diretamente negociada com o comprador.

“De acordo com dados da nossa plataforma, o Brasil é um dos destinos que mais recompensa os viajantes, com uma média de ganhos em torno de US$ 500 por viagem. E, como incentivo, a cada dez itens transportados em uma única viagem, o Grabr ainda oferece um prêmio de US$ 100”, explica Ivan Castro, gerente de marketing.

A professora Talita Pazeto utiliza o aplicativo há dois anos.

“Eu comecei a usar o app como compradora — fazia diversas encomendas de artigos infantis pelo site para viajantes que estavam indo para fora do país, principalmente para os EUA. O custo-benefício vale muito à pena. Quando viajei para fora do país de férias, me cadastrei como viajante para poder testar o outro lado e também trazer alguns itens para os brasileiros. Deu tudo certo e a experiência foi bem bacana. Com a recompensa dos pedidos consegui pagar uma parte das compras da viagem”, conta.

Como funciona para o comprador

Foto Reprodução site

Para gerar um pedido na plataforma é necessário inserir alguns dados do produto como a descrição do item e link de onde ele pode ser comprado no país do exterior.

Com isso, viajantes indo ou voltando destas localidades podem trazer o produto, com uma taxa de recompensa, negociada dentro do aplicativo, com base no preço do produto.

O valor da comissão só é liberado para o viajante após a entrega ser efetuada, garantindo a segurança do acordo. Em caso de problemas com o pedido e entrega da compra, a startup reembolsa os valores pagos, garantindo a segurança das transações.

O comprador além de economizar, não precisa pagar altas taxas de frete nem esperar meses para receber o produto.

Com informações da assessoria de imprensa.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger