Um diagnóstico preciso e um levantamento de dados sobre a situação das margens do rio Itapocu é o foco de uma ação que está sendo idealizada pelo Samae e desenvolvida em parceria com o Ministério Público do Meio Ambiente, a Fujama e o Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Itapocu.
A mata ciliar impede o assoreamento dos rios
A mata ciliar impede o assoreamento dos rios
O estudo será feito desde a captação do Samae até o limite com o município de Corupá e tem como objetivo fazer um raio X das margens do rio que é o principal afluente do município de Jaraguá do Sul. O diretor presidente da autarquia Ademir Izidoro diz que “esse é o último passo de um ciclo que se fecha”. Segundo Izidoro, o Samae está bem encaminhado no que se refere ao tratamento de esgoto e ao tratamento e abastecimento de água. No entanto, segundo ele, não basta ter a garantia de abastecimento se não cuidarmos de nossos mananciais e com o desenvolvimento desse projeto isso será possível.
DSCF5767[1]
Na tarde dessa terça-feira (28), estiveram reunidos no auditório do Samae o Promotor de Justiça do Meio Ambiente Alexandre Schmitt dos Santos, o presidente do Fujama Leocádio Neves e Silva, o diretor presidente do Samae Ademir Izidoro e técnicos envolvidos no projeto.