Salas de cinema do Brasil deverão ter recursos de acessibilidade

Salas de cinema do Brasil deverão ter recursos de acessibilidade Salas de cinema do Brasil deverão ter recursos de acessibilidade

Entretenimento

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sexta-feira, 09:17 - 16/09/2016

OCP News Jaraguá do Sul
Todas as salas de cinema do Brasil deverão oferecer recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva em todas as sessões comerciais. O prazo para a adaptação total é de dois anos, mas, em 14 meses, metade das salas de cada grupo exibidor deverá oferecer o recurso de legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e Língua Brasileira de Sinais (Libras) para quem solicitar. As regras estão definidas na Instrução Normativa 128/2016, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), que será publicada nesta sexta-feira (16). Para diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel, as regras e o cronograma para implantação foram amplamente debatidos com as entidades de pessoas com deficiência, distribuidores e exibidores de filmes. Rangel destacou que houve uma grande compreensão de todos os setores, que concordaram com o avanço que isso representa para os direitos das pessoas com deficiência.
reuniao
Apresentação da acessibilidade no cinema. Foto: Marcelo Freire/Ancine/Divulgação
Segundo ele, as conversas da Ancine com o governo federal para ampliar a acessibilidade no cinema ocorrem desde 2011 e, desde 2014, toda obra financiada com recursos públicos deve obrigatoriamente ter legendagem descritiva, audiodescrição e Libras. Em 2015, com a aprovação do Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/2015), que determina a garantia do acesso a bens culturais como cinema e teatro, a agência resolveu ampliar o acesso para as salas de cinema. “O mais importante é que a lei fixou uma transição de quatro anos, a partir de 1º de janeiro de 2016. Teria de completar até 1º de janeiro de 2020. Nós, na exibição, vamos completar até 16 de setembro de 2018. É possível, têm vários caminhos, que vão desde um tablet ou um óculos. Existe a tecnologia, há vários prestadores de serviço.”

Mais público

O presidente da Associação de Exibidores, Luiz Severiano Ribeiro, disse que o setor recebeu bem a novidade e que os recursos de acessibilidade vão possibilitar um aumento de público. “Esse trabalho da Ancine foi muito importante, vai se homologar o sistema que vai ser usado nessas 3 mil salas de cinema do País. Nós vamos ganhar um público que nós não tínhamos, que não tinha acesso ao cinema, é uma conquista importante", salientou. O assessor da Organização Nacional dos Cegos do Brasil (ONCB), Antônio José Ferreira, disse que, finalmente, os cegos poderão levar suas namoradas ou namorados ao cinema. “Antes era impossível a pessoa cega assistir ao cinema com todos os recursos que pudessem lhe levar àquilo que leva uma pessoa num filme, que é a emoção, a interação, a diversão. E, agora, a partir dessas tecnologias implantadas nas salas de cinema, nós teremos as mesmas oportunidades que as demais pessoas." A tecnologia a ser implantada no Brasil ainda não foi definida, mas a Ancine montou uma câmara técnica para definir os padrões. O número mínimo de equipamentos individuais a ser disponibilizado varia conforme a quantidade de salas do complexo, indo de três equipamentos para uma sala a 15 equipamentos a partir de 13 salas. Segundo Ferreira, o Brasil tem cerca de 30 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual, sendo 5 milhões de cegos totais. Fonte: Agência Brasil Foto capa: Divulgação
×