Agrotóxicos, fertilizantes e produtos químicos. Quem é que não sabe que as frutas, verduras e legumes que consumimos no dia a dia estão cheias desses produtos tóxicos que fazem mal à saúde? Isso sem contar as carnes cheias de hormônios - como de aves, para acelerar o crescimento dos animais - e os produtos industrializados cheios de conservantes que encontramos nos mercados.
Muita gente tem buscado comer da forma mais saudável possível, para garantir o bem-estar e qualidade de vida a longo prazo. E não é pra menos! Existem muitos casos por aí de intoxicação e até o desenvolvimento de cânceres e intolerâncias (como a glúten) com o tempo.
2561-thumb
Foto: Divulgação
O mercado brasileiro de alimentos orgânicos está crescendo significativamente. De acordo com dados do projeto Organics Brasil, as taxas passam de 20% ao ano. O índice foi de 25% em 2015 e em 2016 deve passar de 30%. Já os dados mundiais ficam entre 5% e 11%, o que mostra que o mercado está crescendo em ritmo dobrado no Brasil - mesmo que o país ainda represente menos de 1% da produção e do consumo. As estatísticas ainda apontam que o Brasil tem um giro estimado de R$ 2,5 bilhões por ano, com expectativa de chegar a R$ 3 bi neste ano de 2016.
Ok, mas e onde os jaraguaenses podem conseguir comprar esses produtos orgânicos? A gente te mostra, conheça alguns deles:

Loja Monte Verde

Inaugurada em maio de 2015, a Monte Verde, é a primeira loja da região (e do Estado) que vende apenas produtos orgânicos. Tem acelga, bananas, batatas, cebolas, gengibre, maçã, melancia, melão, pimentão, laranjas e mais.
13781790_1743933752513856_7992181359169490104_n
De acordo com a proprietária Francielli Schütz, todos os produtos vendidos têm o selo e estão em dia com o certificado de produtores orgânicos. “As pessoas têm começado a perceber a diferença entre produtos naturais e orgânicos e cada vez mais apostando em uma alimentação livre de agrotóxicos”, comenta Francielli. Ela complementa que, vale a pena investir em uma alimentação mais saudável, para que, futuramente, não venha a desencadear problemas de saúde. É uma boa troca, né? ;)
A loja fica na Rua Domingos Demarchi, 15, no Bairro Vila Nova. O telefone para contato é o (47) 3054-0837.
-

Mercado Público

A linha hortifruti orgânica também tem uma grande variedade no Mercado Público aqui da cidade. Tomate, banana, cenoura, maçã, cebola, batatas e repolho são algumas das opções encontradas na verdureira. Além disso, também tem outros produtos como mel, macarrão e suco de uva, todos levando o selo de garantia dos orgânicos.
Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS
Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS
De acordo com o sócio-proprietário Daniel Ruschel, que ajuda a tocar a empresa junto com a família, o que se percebe é que nos últimos dois anos a procura aumentou muito, por isso a necessidade de buscar variedades no ramo de orgânicos. Os fornecedores são aqui da cidade e também de cidades vizinhas, como Pomerode e Blumenau. "Hoje a maioria das verdureiras oferecem algumas opções orgânicas, porque os clientes pedem muito", comenta.
Para avisar os clientes quando tem produtos fresquinhos na loja, foi criado um grupo no What's App e, quem quiser participar é só entrar em contato com o número (47) 9953-9494, através do aplicativo. O Mercado Público fica na Avenida Getúlio Vargas, no Centro. O telefone para contato é o (47) 3275-2727.
-

Naturart Pn

Mas não são só frutas e verduras, não! A loja da Naturart tem outros produtos muito bacanas voltados à produção orgânica. Se liga só: vinagre de maçã, creme dental, açúcar mascavo, cookies e açúcar demerara. Pra quem também gosta de produtos naturais ou precisa de uma alimentação balanceada sem glúten e lactose, por exemplo, esse é o lugar. Tem muitas opções em chás, sucos, suplementos e integrais.
A loja fica na Rua Expedicionário Gumercindo da Silva, próximo à Caixa Econômica Federal. O telefone para contato com o pessoal de lá é o (47) 3374-2785.
-

Supermercados Angeloni

Entre a variedade orgânica hortifruti, o Angeloni trabalha com a chicória, alface, espinafre e o brócolis. De vez em quando os clientes também encontram a maçã vinda de produção sem nenhum uso de agrotóxicos - e todos com selo de identificação e garantia de produção orgânica, claro. Jaraguá do Sul tem duas filiais do supermercado, sendo uma localizada na R. Barão do Rio Branco, 732 e a outra na Rua Bernardo Grubba, 247, as duas no Centro da cidade. O telefone para contato é o (47) 3274-3700.
-

Verdureira da Raquel

Famosa na cidade, a Verdureira da Raquel também tem algumas opções orgânicas para os clientes. Quem estiver fazendo umas comprinhas por lá vai encontrar brócolis, alface americana, acelga, tomate, couve flor e morangos, todos vindos de produção orgânica.
A verdureira fica na  Rua Coronel Procópio Gomes de Oliveira, 1150, no Centro da cidade.
-

Direto da fonte (agricultores)

Também existe a boa opção de comprar direto dos produtores aqui da cidade. O agricultor Sereno Vilse, de 41 anos, é um dos produtores credenciados com o selo EcoVida, por aqui. Ele mora e tem a sua produção no Bairro Jaraguá 99, próximo ao Salão 25 de Julho.
A família dele está na agricultura há três gerações, mas há aproximadamente 6 anos ele decidiu começar com a produção de orgânicos. O terreno onde ele e a família mora possui cerca de 10 mil hectares, dos quais 8 são usados para o plantio de banana.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O jaraguaense explica que trabalhar com produtos orgânicos não é fácil. Como não é possível o uso de produto nenhum no controle a pragas, por exemplo, é preciso fazer uso de alternativas da própria natureza. Ele conta que para fazer o controle das pragas da banana, planta árvores no meio das bananeiras, para proteger a fruta do sol. “As pragas da banana se desenvolvem com o calor. As árvores são mais altas, fazem sombra, e mantém as pestes afastadas”, diz Vilse.
É o trabalho, tempo e gastos que deixam esses produtos com um preço mais elevado do que os que encontramos nos mercados normalmente. O agricultor diz que os orgânicos chegam a ter uma diferença de 30% no valor, em comparação a alimentos de produção convencional.
Além disso, a procura também é pequena. “É a famosa lei da oferta e da procura. Não produzimos em alta escala e temos pouca procura em comparação aos outros, então os preços aumentam”, conclui Vilse.
-

Como funciona a produção orgânica

É a força da terra e do adubo natural que mantém a produção orgânica firme e forte em Jaraguá do Sul. Atualmente 16 propriedades rurais da cidade fazem esse tipo de cultivo, dos quais 14 são certificadas pela rede EcoVida - referência nacional na produção orgânica.
No geral, os agricultores orgânicos jaraguaenses produzem para abastecer a região, como as lojas, o mercado público e a maioria das escolas da cidade, para a merenda dos alunos. Mais de 90% da produção de orgânicos na cidade é voltado à bananicultura.
Foto: Divulgação
De acordo com o engenheiro agrônomo, Jackson Haroldo Schütz, da Secretaria do Desenvolvimento Rural e Agricultura, os cuidados na produção orgânica enriquecem o solo, enquanto a convencional, pouco a pouco, traz o desequilíbrio. A produção de produtos livres de agrotóxicos pode ser feita de duas formas:
- Produção agroecológica: Busca o equilíbrio para o meio ambiente em que a produção se encontra. Além de não usar venenos, essa produção vai além: realiza o manejo sustentável, valoriza as sementes tradicionais e cultiva alimentos em harmonia com a natureza e a cultura local. Utiliza a teoria ecológica para otimizar o uso dos recursos locais, cultivando a fertilidade do solo de maneira biológica e a regulação natural de pragas.
- Produção orgânica: visa mais a produção em si e o produto em si, sem a preocupação com o equilíbrio ambiental do meio. Não polui o solo nem o lençol freático com substâncias químicas tóxicas e utiliza sistemas de manejo, assegurando a estrutura e fertilidade dos solos, além de adubação orgânica, promovendo o ciclo perfeito da natureza.
Para produzir, o agricultor tem mais trabalho. É necessário mais mão de obra e cumprir com todos os cuidados, sem depender de agrotóxicos, herbicidas e adubo químico. É feito o processo de compostagem para o adubo natural e o manejo com a terra para evitar pragas e doenças nos produtos e plantas. "Apesar de o tempo de produção ser quase o mesmo comparado com a agricultura convencional, o produtor orgânico gasta mais tempo cuidando para que as plantações evoluam bem."
O agrônomo Jackson explica que a venda dos alimentos orgânicos só pode acontecer com o uso de certificado, para que o selo esteja à mostra do consumidor e exista a confiança no produto. Hoje, em Jaraguá do Sul não existe produção de carnes, ovos e derivados (leite, queijo), com um viés orgânico. Os produtores fazem por conta para consumo próprio, mesmo, mas nenhum tem o certificado para a venda desse tipo de produto.

Os benefícios

No fim, o consumo de produtos orgânicos acaba se tornando uma “cadeia do bem-estar”, quanto mais as pessoas se cuidarem, menos doentes vão ficar e depender menos dos serviços de saúde, o que vai fazer as filas diminuírem nos hospitais, por exemplo. Resumindo: é um investimento pela vida.
E aí, que tal começar sua parte nessa "sociedade" que vai trazer benefícios pra todos a longo prazo? ;)
WhatsApp Image 2016-08-04 at 13.11.10
...
Ahh, e quem souber de outro lugar, seja uma vendinha, verdureira ou lojas que vendam produtos orgânicos, é só dar um toque pra gente!