Com certeza, você já ouviu o termo reciclagem muitas vezes na sua vida. Mas e o termo upcycling, você já ouviu falar ou sabe o que é? Uma marca bem conhecida aqui em Jaraguá do Sul, a Rust Miner, é uma que faz uso da prática, assim como um ateliê de roupas femininas que começa a ganhar destaque. Neste post, apresentamos a vocês a história da ReUso.

O que é o upcycling?

Antes de tudo, é preciso entender o que é upcycling. O termo, utilizado pela primeira vez em 1994, refere-se ao processo de transformar resíduos ou produtos que seriam descartados em novos materiais ou produtos de maior valor, uso ou qualidade. O upcycling reabilita essas matérias em uma nova estética e prolonga sua vida útil, sem precisar do processo de reciclagem.

A história

A criação da ReUso é um reflexo da trajetória das proprietárias, Sally Neitzel Caropreso e Ana Maria von Atzingen Sasse.
Sally era empresária e trabalhava no comércio, mas sempre teve sua vida ligada à costura e tecidos. Prova disso, é que os vestidos mais importantes da sua vida, como de debutante e casamento, foram ela mesma quem criou. Seguindo essa paixão, aos 49 anos, decidiu cursar estilismo no SENAI. Seu trabalho de conclusão de curso foi enviado para o SCMC (Santa Catarina Moda Contemporânea), que resultou no convite, junto com uma colega, para produzir uma coleção que foi apresentada na passarela do evento.
DSCN9221
Ana e Sally no processo de criação. Foto: Gabrielle Figueiredo
Ana sempre trabalhou com arte e criação, seja na área têxtil, onde foi estilista, ou até na publicidade. Fez um curso de decoração e arte, e tempo depois também cursou arquitetura. A ideia da ReUso deu seus primeiros sinais depois do resultado do seu trabalho de pós-graduação, no curso de Criação e Desenvolvimento de Produtos de Moda, no Orbitato Instituto. "A ideia surgiu depois de visitar os depósitos têxteis, e alinhando ao conhecimento sobre o tecidos, percebi que as empresas descartavam coisas maravilhosas", conta Ana.
DSCN9243
As sócias na escolha dos tecidos. Foto: Gabrielle Figueiredo
Sally e Ana já se conheciam e tinham trabalhado juntas em outra ocasião, o que sinalizou o potencial da parceria. Juntas, fizeram uma oficina em Córdoba, na Argentina, onde coletavam materiais na natureza e desenvolviam peças de design. Deste encontro, a jornalista que ministrava o curso publicou um artigo sobre o trabalho que Ana estava fazendo com as peças de descartes têxteis e, assim, ela foi convidada a expor na Patagônia.
Após isso, em 2012, as duas começam a produzir juntas as roupas. Expuseram o trabalho no Sesc Jaraguá do Sul e também no Inconsciente Coletivo, evento que acontece em Joinville. Aí nasceu oficialmente a ReUso, único ateliê da região a trabalhar com o conceito de upcycling para criar roupas femininas. :)

A marca

Para criar as peças, a ReUso utiliza como base de sua produção descartes têxteis de empresas da região. Sally e Ana selecionam os materiais, observam sua capacidade de utilização e criam novas roupas.
O resultado são peças flexíveis, que podem ser usadas por diversos biotipos e faixas etárias. "Hoje, pessoas com mais idade, por exemplo, têm dificuldade para encontrar roupas com personalidade, é um nicho esquecido pela grande indústria da moda", explica Ana.
peças reuso
As peças, além de abrangerem um público maior, também são atemporais, ou seja, não são reféns da última tendência do momento. São itens que você pode utilizar por mais tempo, sem se preocupar se estará na moda. Isso também reforça a ideia de consumo consciente e de aproveitar ao máximo a roupa que você adquire. "O objetivo é de você comprar coisas bacanas que terá por muito tempo", ressalta Ana.
Peças em exposição no ateliê. Foto: Gabrielle Figueiredo
Peças em exposição no ateliê. Foto: Gabrielle Figueiredo
Outro diferencial do processo de produção, é que o tempo para a criação da peça é distinto. É tudo pensado com calma, considerando como cada tecido pode ser melhor aproveitado para criar a peça (a dupla já chegou a investir um dia todo só para fazer o corte de apenas duas peças). "A sustentabilidade é uma filosofia no nosso trabalho, não uma moda", definem.

Vitrine pela cidade

Além de fazer uma visita no ateliê da ReUso para conferir as criações, você também pode encontrar algumas peças expostas na vitrine da Grafipel e durante edições do evento Carpe Diem, promovido pelo Coletivo 73.
Para o fim do ano Sally e Ana já estão programando a realização do segundo desfile da marca, em data a ser definida. E nos planos futuros, está a ideia de ter pontos de venda fora de Jaraguá do Sul.
Primeiro desfile da marca, onde chamaram amigas para a passarela
Primeiro desfile da marca, onde chamaram amigas para a passarela. Foto: Divulgação ReUso
"Acredito que plantamos muito ao longo dos anos e agora estamos começando a colher esses frutos. As pessoas compreendem o trabalho e entendem o significado dele", finaliza Sally.
-

Onde encontrar a ReUso

entrada_reuso
A ReUso está localizada na Rua Quintino Bocaiúva, nº 42 salas 1 e 2 - em cima da Grafipel. O atendimento acontece de segunda a quinta, das 14 às 19 horas. O telefone para contato é (47) 8806-1622.
Acompanhe as novidades pelas página no Facebook.