O sertão vai virar mar? Dar um giro pela sonoridade da genuína música caipira e sertaneja é a proposta do concerto de gala “Sons do Sertão”, que será apresentado neste domingo (27), às 19h, no palco do Grande Teatro pelo Coral da Scar (Sociedade Cultura Artística), sob a regência do maestro Wanderli Siewerdt. O público terá a oportunidade de viajar pelo universo poético e simples do homem do campo, através da interpretação de obras dos maiores ícones desses dois gêneros musicais tão marcantes. Carregado de brasilidade, o espetáculo resgatará os ritmos pantaneiros e nordestinos, numa homenagem a artistas consagrados, como Almir Sater, Luiz Gonzaga, Renato Teixeira, Dorival Caymmi, Chico Buarque, Pena Branca e Xavantinho, e Chitãozinho e Xororó. Com apresentação única e uma proposta inovadora, o espetáculo, que reunirá em torno de 50 pessoas no palco, também contará com a presença de bailarinos e atores. A direção de “Sons do Sertão” tem a assinatura do diretor e ator Maicon Junkes. No abrir das cortinas, a plateia terá a oportunidade de conferir a performance vocal de 43 coralistas (divididos em quatro naipes), cinco atores da Escola de Teatro e três bailarinos da Escola de Dança da Scar. Os organizadores prometem surpresas para o público, dentro da proposta de resgatar as origens da musicalidade popular. Criado em 6 de junho de 1974, o Coral da Scar tem por tradição oferecer um espetáculo anual à comunidade. Segundo o maestro Wanderli Sewert, desde 2008 à frente do grupo, ao completar 43 anos foi rompida a tradição de agendar a apresentação para o mês do aniversário. “Esse ano a ideia surgiu relacionada às raízes”, comenta o maestro. Ele conta que apesar de algumas músicas serem interpretadas individualmente, foram adaptadas com arranjos para coro. Os ensaios iniciaram em março, impulsionados a partir de maio. Tudo isso visando a harmonia e o pleno entrosamento no palco. “Nos últimos dois meses, passamos a ensaiar duas vezes por semana, junto com os atores e bailarinos”, ressalta o comandante. GRANDES SUCESSOS NO REPERTÓRIO 
O repertório é eclético e, mesmo mantendo certo mistério, o maestro confirma que entre as interpretações está a canção “Tocando em frente”, da parceria Almir Sater e Renato Teixeira. A emblemática “Asa Branca”, do saudoso Luiz Gonzaga, o “Gonzagão”, “Cio da Terra”, de Chico Buarque e Milton Nascimento, e “Deus e eu no sertão”, de Vítor e Léo, estão entre as músicas confirmadas. “Esse concerto quer mostrar a saudade, a nostalgia, o trabalho daqueles que deixaram a terra, mas também a alegria”, resume o maestro Siewerdt. O diretor de “Sons do Sertão”, Maicon Junkes, que pelo segundo ano realiza trabalho conjunto com o Coral, revela que o espetáculo reúne elementos do balé clássico e do teatro para enriquecer o tema. “Com certeza será uma apresentação emocionante, porque trabalha a memória, o imaginário das pessoas, mas a estrela principal é o coral”, enfatiza Maicon.
SERVIÇO 
O quê: Concerto de Gala “Sons do Sertão” Quando: Domingo (27), às 19h Onde: Grande teatro da SCAR – Rua Jorge Czerniewicz, 160, Czerniewicz Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) Por Sônia Pilon | O Correio do Povo