Quem passou nesta quarta-feira pelo Mercado Público percebeu um cenário diferente, cerca de 30 rendeiras fazendo renda de bilro e entoando cantigas. A Roda de Rendeiras e Ratoeira é mais uma das atividades da programação da prefeitura em comemoração ao Dia da Mulher, celebrado em 8 de março. A Ratoeira era uma brincadeira comum nas décadas de 1960 e 1970. Na época grupos se reuniam em rodas para cantar versos e prosa. O encontro era realizado, entre outros, para conquistar novos amigos e amores. No Mercado Público, o objetivo das rendeiras é chamar a atenção para esta arte passada de geração a geração e que representa a identidade e a história de boa parte do povo de Florianópolis. Trazida pelos açorianos, a renda de bilro era a atividade preferida das mulheres enquanto esperavam os maridos retornarem das pescas. O que era uma forma também de contribuir financeiramente com a família. Com o tempo a renda virou parte da história da cidade até se tornar patrimônio cultural de Florianópolis. Além da Roda de Rendeiras e Ratoeira, a programação para celebrar o Dia da Mulher segue com atrações nesta quinta-feira. Na Praça XV, o Projeto XV com Arte vai ser também destinado a elas. Na Figueira da Praça, às 12h30min, ocorre apresentação do Choro em Duo Piano e Voz com Cláudia Barbosa e Mari Leonel, além da presença das rendeiras. Na sexta-feira, acontece a entrega do Prêmio Maricota, solenidade em que a Prefeitura de Florianópolis reconhece e homenageia mulheres com atuação destacada em diversos segmentos.