Durante o dia, Jaise Franzner Frotscher, de 21 anos, tem uma rotina normal de trabalho como assistente financeiro em uma empresa comercial no ramo de alimentos.

À noite, a jovem divide o tempo entre a família, o namorado e atividades de lazer, como andar a cavalo.

Há quase uma mês, esse cotidiano de Jaise ganhou alguns hábitos a mais. Ela foi coroada como rainha da 31ª Schützenfest, representado a  Sociedade Rio da Luz - Salão Barg.

Os preparativos para a Festa dos Atiradores de 2019 já começaram e a expectativa é que as celebrações sejam ainda maiores do que na edição histórica deste ano.

Jaise começou a frequentar as festas tradicionais em 2014, pela Sociedade Centenário. Eleita rainha da Festa do Colono, a jovem passou a conhecer mais sobre a história por volta das celebrações, desfiles e competições de tiro.

Foto: Eduardo Montecino

Naquele ano, ela não concorreu ao título de majestade da Schützenfest porque tinha apenas 17 anos.

Sonho de vencer

A jovem entregou a faixa, mas permaneceu com o desejo de participar mais da festa mais tradicional da cidade.

Em 2015, quando a Sociedade Rio da Luz completou 100 anos, Jaise se associou ao clube de tiro e ganhou o título de segunda princesa.

"No Salão Barg foi onde eu me apaixonei ainda mais pelas sociedades, fui muito bem acolhida e isso me instigou a participar mais ativamente, não só carregando uma faixa. Fiz parte da equipe de tiro, da organização dos eventos, de tudo", comenta.

Jaise é integrante da equipe de tiro do Barg e já disputou três torneios anuais que elegem as majestades da Schützenfest. "No ano passado, por pouco não conquistei a faixa de rainha. Este ano, fui a primeira princesa na modalidade da carabina 22", conta.

Desde 2017, a rainha é membro da diretoria do Salão Barg. Segundo Jaise, a partir daí ela pôde acompanhar mais de perto as dificuldades de uma sociedade e também como funciona melhor a administração.

"Não tive contato com uma sociedade antes porque quando era pequena minha mãe não tinha como me levar, não morava na região do Rio da Luz. Mas quando conheci me encantei com tudo que vi e tive vontade de me envolver mais", destaca.

Relação com a Schützenfest é antiga

Muitas meninas jaraguaenses alimentam o sonho de ser rainha da Schützenfest desde criança. Com Jaise não foi diferente. "Eu via as rainhas de vestido, pareciam princesas. Nunca achei que fosse conseguir, mas quando entrei na sociedade esse sonho veio à tona de novo e me preparei para tentar realizá-lo", revela.

Jaise lembra que costumava ir no dia das crianças para a festa com toda a família.

"A Schützen para mim representa a integração das sociedades, amizade e união, seja dos amigos que às vezes só encontram ali, ou das famílias, porque é um evento para todas as idades. Mas o principal é a alegria e cultura do povo jaraguaense", garante a rainha da 31ª edição.

Ela e as princesas, Joyce Caroline Brümüller e Samara Boshammer, já estão trabalhando na divulgação da festa para o ano que vem.

Jaise enfatiza que as majestades não vão medir esforços para que em 2019 a Schützen seja ainda melhor.

Jaise leva estilo de vida simples

A rainha da 31ª Schützenfest foi criada no interior, na simplicidade e no meio do mato, como ela mesma define. "Brincava de esconde-esconde no meio das árvores, sempre gostei de viver no campo", explica.

Uma das atividades que Jaise gosta de fazer para deixar o estresse de lado e aproveitar a natureza é andar a cavalo. Ela já fazia isso quando era criança, mas foi nos últimos anos que se aproximou mais.

Foto: Eduardo Montecino

"Meu namorado trabalha num centro de treinamento de cavalo, aí eu pude matar as saudades de andar e relembrar como é bom, principalmente para dar uma tranquilizada", completa.

Hoje, ela ainda mora com os pais em um região mais afastada no bairro Tifa Martins, com muitas árvores e até lagoas.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?