Foto: Chan/Weart

Foto: Chan/Weart

INFORME PUBLICITÁRIO
A Faculdade Senai de Tecnologia e Inovação de Jaraguá do Sul é pioneira na criação de espaços de aprendizagem mais lúdicos, colaborativos e interativos. De acordo com Michael Eberle Siemeintcoski, diretor da unidade, a proposta consiste em parcerias com instituições privadas. “A Proma, entre outras empresas parceiras, nos honrou com o compromisso de criar, decorar e mobiliar um espaço de aprendizagem com uma nova proposta de ensino”, explica Siemeintcoski.
As salas de aula foram divididas em espaços temáticos que vão ao encontro da metodologia de ensino do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai): pesquisar, ouvir, captar, prototipar, inspirar, experimentar, geometrizar, criar, expor e dialogar – é nesse último espaço que a Proma – a partir da essência do diálogo, da conversa e da troca de opiniões – elaborou um projeto dinâmico, acolhedor e que acompanha fisicamente a proposta metodológica da instituição.

Espaço Proma

A arquiteta da Proma, Caroline Obenaus, se inspirou nos apartamentos de New York para criar a sala “dialogar”. O charme do ambiente – moderno, aconchegante e com um toque industrial – lembra a ideia dos primeiros “lofts”, que surgiram na década de 70. “Velhos galpões, por exemplo, foram reformados para servir de moradia. Chamados de lofts, esses espaços eram reconhecidos por não terem paredes dividindo os ambientes, pelos mezaninos de madeira ou ferro, além do pé-direito alto e grandes janelas”, explica Caroline.
Foto: Chan/Weart
Foto: Chan/WeArt
O ambiente, com o teto com a infraestrutura aparente, tem em uma de suas paredes tijolos de demolição e, em outra, uma pintura de um artista plástico. Já as demais paredes foram pintadas na cor grafite, com uma tinta especial, tipo “quadro-negro”, para que os estudantes possam expressar suas sugestões e ideias pelo espaço, deixando, assim, a sala ainda mais interativa.
Foto: Chan/Weart
Foto: Chan/WeArt
Em relação aos móveis, o espaço conta com puffs nos tons azul, que remetem à cor da Proma. “Também criei vários espaços para os estudantes sentarem ou se organizarem em grupos para os trabalhos ou debates. Com o intuito de lembrar os mobiliários de um apartamento e ir ao encontro do que a Proma faz, a sala tem uma mesa com cadeiras, além de uma bancada e duas mesas mais altas com banquetas”, conta Caroline.
Outros destaques são as cortinas, que foram feitas pelas acadêmicas do curso de Moda do Senai, o retroprojetor que está dentro de uma moldura dourada, as máquinas de bebidas e os snacks, para que os estudantes tenham à disposição os lanches na própria sala – podendo, inclusive, pagar sozinhos por meio de uma máquina de cartão.
Para a arquiteta, o projeto do Senai proporcionará aos estudantes espaços de aprendizagem aconchegantes, inovadores e que incitam a criatividade. “Estamos muito lisonjeados. Acreditamos na ideia, não medimos esforços para torná-la realidade e torcemos muito para que seja levada adiante”, ressalta Caroline.

Obra de arte

Um dos destaques principais da sala “dialogar” da Proma está na parede pintada e desenhada pelo artista plástico Alexandre Meldau, em que o plano de fundo com os empreendimentos executados pela Proma foi elaborado pela professora e coordenadora do curso de Moda do Senai, Renata Vavolizza. “A ideia é mostrar o diálogo interdisciplinar e o ambiente com referências do conhecimento e do saber.
pasted-image-at-2016_11_22-10_36-am
Foto: Alexandre Maldau
Dois personagens interagem dentro do conceito “dialogar” – a mulher da direita representa as Ciências Biológicas, as Ciências Exatas e a natureza. Já o rapaz da esquerda  faz referência às Ciências Humanas”, finaliza Meldau.
Foto de capa: Chan/Weart