Joinville é uma das 103 cidades que recebem o Sonora Brasil, maior projeto de circulação musical no país, cujo objetivo é apresentar a diferentes plateias expressões regionais pouco difundidas, mas relevantes no cenário cultural brasileiro. Prova disso é que em sua 21ª edição, o evento do Sesc viaja por todas as regiões com quatro grupos do Nordeste que carregam consigo o tema “Na pisada dos cocos”.

Coco de roda, samba de coco, coco de zambê, coco de pareia, coco furado, coco de embolada... São muitas as variantes que justificam a denominação "cocos”, sempre no plural. “Na pisada dos cocos” apresenta variantes dessa expressão lítero-cênico-musical típica da região Nordeste, trazendo dois grupos que praticam cocos do litoral e dois do interior.

É uma prática coletiva que envolve, na maioria das vezes, grupos mistos, formados por homens e mulheres, que são encontrados em áreas urbanas e na zona rural, inclusive em aldeias indígenas e comunidades quilombolas, onde a dança e a música, integradas, estão presentes nos terreiros, nas festas populares e em ritos religiosos.

Cantadores e dançadores são acompanhados ora por instrumentos de percussão como bumbo, ganzá, pandeiro, caixa, etc., ora por palmas ou pela batida dos pés que marcam o andamento, simulando a pisada que prepara o chão batido, atividade praticada nos mutirões a que se atribui essa característica da dança.

Em Joinville, a mostra acontece entre sábado (3) e terça-feira (6), no teatro do Sesc, sempre às 20h e com entrada gratuita. No sábado, se apresenta o Coco de Zambê (RN); no domingo, o Coco de Iguape (CE, foto no alto); na segunda, o Coco de Tebei (PE, foto acima); e na terça, o grupo Samba de Pereira da Mussuca (SE, foto acima).