Adolescentes varriam ao redor do terminal central de ônibus. Outros penduravam flores no gradil. E alguns construíam bancos de paletes e pvc. As intervenções urbanas são parte do projeto “Por Uma Cidade Mais Viva”, realizado pela Secretaria de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável (Sepud), com patrocínio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina (CAU/SC). O projeto revitalizou nesta sexta-feira (24) parte da praça da Bandeira e do terminal central com flores, plantas, tintas, mobiliário, grafite, mudas e paisagismo. O projeto iniciou com ações educativas e oficinas de criação com estudantes do ensino médio atendidos pelo projeto Resgate e acadêmicos de Arquitetura e Urbanismo de diferentes faculdades. Foram dez encontros com o objetivo de pensar a cidade de forma mais humana e inteligente. Primeiro, eles fizeram um diagnóstico e entrevistas com pessoas que frequentam a praça e o terminal para saber o que queriam e do que precisavam. As propostas são de caráter temporário. “Vamos alocar de forma a chamar atenção para os espaços públicos de Joinville e o seu valor para a qualidade de vida da população, valorizando o local”, disse a arquiteta da Sepud responsável pelo projeto, Jéssica Pollum. Na tarde da sexta, foi o momento final do projeto, de instalar as intervenções urbanas. O grupo se dividiu em três: um no terminal, um na praça e outro nas áreas verdes. Eles instalaram floreiras e flores ornamentais nos canteiros existentes e em vãos dos pilares do terminal com a intenção de dar mais cor e propiciar áreas contemplativas para os usuários do transporte público. No terminal, a grade de proteção da entrada principal também recebeu instalação de floreiras feitas com garrafas pet. É um jardim vertical. As flores não interrompem o campo visual e geram uma nova percepção ao ambiente. Os grafiteiros Alexandre e Eduardo Feitosa fizeram um grafite numa parede do terminal. Alguns bancos foram pintados. Na praça da Bandeira, os voluntários fizeram bancos de paletes com espuma e lona. São quatro estruturas, fixadas entre si, com alturas diferenciadas. Outros bancos de PVC e fitas também foram feitos. Duas bicicletas antigas foram pintadas de amarelo, receberam flores e foram colocadas perto dos bicicletários. “A instalação busca reforçar a identidade de Joinville como Cidade das Bicicletas e Cidade das Flores”, explicou a arquiteta. Cerca de 60 mudas de árvores foram distribuídas para adoção. As mudas – como pitanga e arueira – foram colocadas em embalagens de leite encapadas e reaproveitadas. “Como nem todos têm a oportunidade de plantar árvores, colocamos placas nos postes com os dizeres “faça sua parte” e distribuímos pacotinhos de sementes, de flores e outras plantas de pequenos porte, instigando que todos são capazes de realizar boas ações verdes”, disse Jéssica. A praça também recebeu flores artificiais como ornamento em mobiliários e estruturas. “É uma experiência nova, mudar a cidade. É gratificante saber que foi a gente que proporcionou”, disse a estudante Thais Pinheiro, de 17 anos. “A gente aprende a compartilhar ideias, aceitar as ideias dos outros e também a ver o lado dos outros quando fizemos a pesquisa para saber o que as pessoas gostariam”, disse a estudante Ana Carolina Maciel, 17 anos. *Com informações da Prefeitura de Joinville