"Quando foi a última vez que fiz uma coisa pela primeira vez?”.
Foi essa pergunta que Joyce Menezes se fez antes de partir para o ensaio que havia contratado com a fotógrafa joinvilense Andressa Corrêa. Era um momento libertador da rotina de trabalho, das tarefas domésticas e dos filhos, e uma forma que encontrou para reconectar-se com si mesma.
O resultado foi revelador para ambas: Joyce se descobriu mais forte e confiante, enquanto Andressa percebeu um trabalho capaz de elevar a autoestima das mulheres e despi-las do medo de seus próprios corpos. Assim nasceu o Projeto Feminino Livre, uma série ensaios que a fotógrafo publica desde março no Facebook e no Instagram @projetofemininolivre, canais onde também divulga informações sobre empoderamento.
As fotografadas (ou modelos) escolhem o lugar, o figurino e se querem fotos com ou sem roupa. Já o tipo de fotos fica a cargo de Andressa, que decide na hora como serão as fotos, num formato que ela chama de fotografia intuitiva. Antes de começar o ensaio, entretanto, a fotógrafa procura entender e conhecer um pouco essas mulheres - quem são, o que anseiam ou temem - para então captar essas informações através do corpo.
“Muitas mulheres acreditam que somente modelos profissionais, com determinada aparência, podem fazer ensaios fotográficos. Mas, cada vez mais, essa mentalidade está mudando e as mulheres estão acordando para a realidade de que cada uma tem uma beleza única, que precisa ser valorizada”, afirma.