A dobradinha formação de plateia e estímulo à descoberta de talentos artísticos volta com força total na próxima segunda-feira (28) e segue até quarta no palco do pequeno teatro da Sociedade Cultura Artística (Scar), em Jaraguá do Sul, no Norte catarinense. É a segunda etapa de 2017 do projeto "A Escola Vai ao Teatro", iniciado há mais de 20 anos. O destaque dessa temporada é a estreia de “Leviatã”, da Colher de Pau Cia de Teatro, que integra o núcleo da Scar e traz ao palco a importância da temática sustentabilidade. A programação inclui reapresentações das peças teatrais “Valentina e o cachorro de Chapéu”, da Valentinos Cia. Artística, que estreou na primeira etapa do ano, em maio;  e “O incrível ladrão de calcinhas”, essa última da Trip Teatro, de Rio do Sul. A expectativa dos produtores é atrair em torno de 1.500 estudantes das redes pública e particular da região durante os três dias, totalizando sete apresentações, que serão feitas por meio de agendamento. As peças também são abertas ao público. No primeiro semestre, além de “Valentina e o Cachorro de Chapéu” foram apresentadas as peças “O rapto de Daniel”, da Cia. Rumo; “A noiva virtual”, do Grupo Davi; e “Casa de Pólvora”, da Colher de Pau. Na primeira etapa, o projeto atraiu cerca de 1.300 pessoas, da educação infantil, ensinos fundamental, médio e educação de jovens e adultos. VISIBILIDADE À QUESTÃO AMBIENTAL  O produtor do projeto, Fred Paiva, explica que a peça “Leviatã” foi concebida em meados de abril com tema influenciado pelas adequações sustentáveis adotadas pela Scar desde o ano passado, com a implantação dos sistemas de captação da água da chuva e das placas de energia solar. “A peça faz parte da nova proposta, de dar visibilidade para a questão ambiental”, resume, em referência às ações internas. Segundo a gerente executiva, Edilma Lemanhê, o custo anual para a execução do projeto em dois anos, por meio de captação de recursos pela Lei Rouanet, é R$ 250 mil. Mesmo sem ter captado verba em 2017, a instituição optou por bancar e dar continuidade ao projeto, que se consolidou em duas décadas e gera grande expectativa entre os estudantes. Para esse ano, a Scar estimou em R$ 70 mil o custo de cada uma das etapas, que incluem pesquisa, oficinas de formação, produção, cenários, iluminação, figurinos, cachês de artistas e logística de transporte, em parte subsidiado.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO: 

29/8 - 9h e 14h  “Leviatã”  - (COLHER DE PAU CIA. DE TEATRO - JARAGUÁ DO SUL) “Diziam os antigos que ali antes havia peixe, mas isso faz tempo - antes mesmo de o mar subir e engolir tudo. O mundo é um vasto oceano, onde os Dois caçam relíquias entre os entulhos que cobrem as águas. Das profundezas, surgem dois olhos brilhantes... Teria a vida vencido o lixo, ou o lixo criado vida?”. Fantasia sobre sustentabilidade. Duração: 40 min. Classificação: a partir de seis anos   28/8 - 9h e 14h  “Valentina e o Cachorro de Chapéu” - (VALENTINOS CIA ARTÍSTICA JARAGUÁ DO SUL) Valentina é uma garota típica de Falsilândia, onde se vive de aparência. É uma menina de classe média que concorre ao Miss Paparico e fará de tudo para ganhar o concurso, se envolvendo em grandes confusões. Conta com a ajuda do fiel amigo Z e do magricela Cachorro de Chapéu. Duração: 45 min. Classificação: de três a 12 anos 30/8 - 9h e 20h “O incrível ladrão de calcinhas”  - (TRIP TEATRO - RIO DO SUL) História de detetives baseada no estilo do Cine Noir, de filmes tipo “B” das décadas de 1940 e 1950. O Detetive Bill Flecha é procurado pela senhorita Velda, “mulher-fatal” que tem sua peça íntima furtada e pagará qualquer quantia para a ter de volta. Ocorrem crimes violentos e todos são suspeitos. Duração: 60 min. Classificação: a partir de 14 anos *Ingressos: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia) Por Sônia Pilon | O Correio do Povo