Passadas duas semanas de apresentações em instituições de ensino, entidades sociais e no Hospital Infantil de Joinville, o espetáculo “A Princesa Margarida – um Espetáculo Brincante” chega ao final de sua temporada de estreia com duas sessões no galpão da Ajote, na Cidadela Cultural. Depois deste sábado (18) e domingo (19), às 16h, a peça fechará 17 apresentações realizadas – 15 delas gratuitas -, além de uma oficina, tudo dentro do projeto aprovado no Simdec.

“Princesa Margarida” é obra da Metamorfose Cia. Cênica. Leva a assinatura de Augusto Pessôa e Ângela Finardi e encenada por Prika Lourenço e a própria Ângela. Na história, a princesa Margarida desapareceu, e o rei convoca a todos para ajudar a encontra-la. Com dramaturgia criada a partir da ciranda “Onde está a Margarida”, a peça contém elementos dos contos populares, cantigas e brincadeiras tradicionais.

Além do resgate da cultura popular, o espetáculo dá sequência ao trabalho de pesquisa centrado na contemporaneidade e vocalidade poética dos performers que a companhia desenvolve desde 2001, quando foi fundada. Desde então, já produziu, entre vários outros trabalhos, “S.O.S. – uma Mulher Só” (2006), um dos maiores sucessos do teatro joinvilense.