No último domingo, dia 28, a central do Corpo de Bombeiros de Jaraguá do Sul recebeu a ligação de um pai dizendo que o filho de cinco dias havia se engasgado com leite materno.
Segundo o comandante Neilor Vincenzi, um bombeiro que estava na central acalmou o pai e passou as orientações sobre os procedimentos que deveria fazer para a criança voltar a respirar. O pai conseguiu fazer as manobras para desobstrução das vias aéreas e a criança voltou a respirar.
Portanto, mesmo tendo cuidado, os acidentes não avisam e os pais devem estar preparados para enfrentar qualquer tipo de situação.
Entramos em contato com o Corpo de Bombeiros, que nos explicou que determinadas situações pedem medidas diferentes. Confira:
  • Afogamento 
Acontece com a entrada de líquido nos pulmões. Em crianças de 0 a 6 meses pode ocorrer com o próprio leite materno, ou qualquer outro líquido. O recomendado para reverter estes casos é o processo de tapotagem, conforme a imagem a seguir:
tapotagem
  • Obstrução das vias aéreas
Se o bebê não consegue chorar nem tossir, as vias aéreas podem estar fechadas, e você vai precisar ajudá-lo a voltar a respirar. Pode acontecer quando um objeto rígido está obstruindo as vias aéreas da criança. Em crianças de 6 meses a 1 ano normalmente acontece com pequenos objetos. O recomendado para reverter estes casos é a manobra manobra de Heimlich, conforme imagem a seguir:
manobra de heimlich
Nos dois casos, a reação deve ser rápida, pois logo pele da criança pode começar a ficar muito vermelha, azulada ou arroxeada. Conforme o comandante, entre o início e o estado crítico de um afogamento, o tempo varia, mas normalmente não passa de um minuto.
No vídeo abaixo, o Dr. Drauzio Varella explica os dois procedimentos:
Fontes: Aconteceu em Jaraguá do Sul e Guia Infantil
Foto: Divulgação