Em maio de 2017, um movimento iniciado nas redes sociais colocou em discussão a mudança do nome do bairro Costa e Silva, em Joinville, dado em homenagem ao ex-presidente da época da ditadura militar.

Em agosto, a proposta saiu do mundo virtual e ganhou relevo com uma intervenção realizada na praça da rua Inambú, onde 434 cruzes (cravadas na grama) e forcas (penduradas nas árvores) simbolizaram o número de mortos e desaparecidos durante o regime militar.

De lá para cá, a proposta voltou para a internet, mas não quer ficar só por lá. Nesta terça (8), o movimento lançou a ideia de uma nova intervenção artística. Para isso, convocou artistas a mandarem propostas, que podem ter cenários como a ciclovia do bairro, os arredores do campus da IFSC e as calçadas da Calçadas da rua Otto Pfuetzenreuter.

"Procuramos propostas de ações artísticas que abordem temáticas relevantes para o movimento - como autoritarismo, violência, tortura, AI-5, resistência, liberdade, memória, identidade, etc. Consideraremos propostas de performance, intervenção urbana e outras práticas artístico-pedagógicas que envolvam interação com o público ou distribuição de material", explica o comunicado.

Os projetos devem ser enviados para o e-mail mudacostaesilva@gmail.com até 5 de junho. A proposta escolhida ganhará uma ajuda de custo de R$ 500. Mais informações, AQUI.

--

Leia também

https://www.orelhada.com/animacao-produzida-em-joinville-vai-ao-resgate-dos-golfinhos-da-babitonga/