Friz Alt, Hamilton Machado, Mário Avancini, Eugênio Colin, Luiz Henrique Schwanke, Luis Si, entre outros notáveis das artes joinvilenses, receberam neste sábado (22) a companhia de Antonio Mir. O artista plástico que fez de Joinville seu campo de batalha morreu por volta das 11h35, em Itajaí, de insuficiência respiratória aguda. Ele tinha 68 anos.

Antonio Mir nasceu em Lorca, na Espanha, em 1950. Quando tinha oito anos, sua família mudou-se para o Brasil. Estabeleceu residência e um estúdio em Joinville, onde desenvolveu seu trabalho e também colaborou para uma cena artística local forte. Nesse sentido, atuar na criação da Coletiva de Artistas de Joinville e do Museu de Arte de Joinville (MAJ) foi algo marcante.

Quando estava com 23 anos, foi convidado para participar da Bienal de São Paulo. De fato, a década de 70 viu seu auge, expondo em várias cidades do país e criando grandes murais sob encomenda do Banco do Brasil. O mesmo se deu nos anos 80, quando Mir consolidou seu nome como expoente das artes catarinenses.

Talvez por isso, Mir voltou para a Espanha em 1992 para estudar e abrir um estúdio. Passou por Barcelona e pela Galícia até fixar-se em Puerto de Mazarrón, na região de Murcia. Sua arte passou a circular com mais regularidade por galerias europeias, mas Mir manteve sua estreita ligação com Joinville, além de incorporar mais uma: São Francisco do Sul, cidade onde também instalou estúdio e para a qual desenvolveu vários projetos.

A trajetória de Mir foi interrompida em 2008, quando uma perfuração no intestino o deixou três meses na UTI. Tempos depois, ainda fez um mural para a sede da Bunge, em Gaspar, mas os problemas de saúde o impediram de retomar sua produção normal. Em 2016, ainda expôs nas comemorações pelos 40 anos do MAJ (foto acima).

Em Joinville, uma das obras de Mir mais visíveis é a escultura “O Encontro”, localizado no Centreventos. Entre as homenagens que recebeu destacam-se a Medalha Anita Garibaldi, concedida pelo Governo do Estado, e a Medalha ao Mérito Civil da Casa Rainha Isabel, na Espanha.
O corpo de Antonio Mir será velado a partir das 19 horas deste sábado na Capela Borba Gato. O sepultamento está marcado para as 11 horas deste domingo (23), no Cemitério Municipal de Joinville.