Ok, não "priemos cânico", apenas os franceses vão ter que se acostumar com uma nova versão da oração universal, o Pai Nosso. A partir de domingo, eles terão que rezar diferente um trecho, que que sugere que os pecadores são tentados por Deus. A frase "não nos submeteis à tentação", como aparece atualmente na versão em francês desta oração, será substituída a partir deste fim de semana por "não nos deixeis cair em tentação", como em português, o que transfere a carga do pecado aos homens. A versão atual da oração em francês foi adotada em 1966, como resultado de um compromisso ecumênico após o Concílio Vaticano II, e nunca foi unânime. Pode Deus submeter seus filhos à tentação, um domínio reservado ao diabo? O teólogo protestante Jacques Ellul considerava esta tese absurda, enquanto outros, especialmente católicos, a consideravam quase blasfematória. "A tradução não era errônea, mas a interpretação era ambígua", comentou o monsenhor Guy de Kerimel, presidente da comissão episcopal para a liturgia na Conferência de Bispos da França (CEF). Mas a nova versão também gerou críticas. Para o Conselho Nacional de Evangélicos da França (CNEF), o novo texto elimina a ideia de que o Criador "seria responsável pela tentação, mas solapa a soberania de Deus". A Igreja espera que esta mudança seja uma "ocasião para que os cristãos se reapropriem" do Pai Nosso. Fonte: AFP/Jornal de SC