O palco principal da Feira do Livro de Joinville vai ser dominado pelas histórias do escritor, jornalista, músico e produtor cultural Tino Freitas. Cearense radicado em Brasília, ele, que é também mediador do projeto Roedores de Livros, vai debater uma questão que interessa a crianças e adultos: afinal, livro é ou não é um brinquedo?

Já na abertura da Feira, no dia 7, às 10h, Tino estará no palco principal. A sessão de autógrafos está prevista para às 11h, na Praça de Autógrafos. À tarde, às 15h, ele estará no Teatro Juarez Machado, retornando à praça às 16h para ser recebido pelo público. O autor esteve na edição da Feira de 2015.

Tino Freitas, conhecido por se cercar de livros, músicas próprias e utilizar contos populares e brinquedos para explorar o universo lúdico, tem no currículo 20 livros publicados. Seu talento e sensibilidade foram reconhecidos pela prêmio Jabuti, prêmio Bienal e prêmio Laura Pondé, entre outros.

Um de seus textos também figurou na revista Crescer entre os  30 melhores infantis de 2010. Intitulada "Leila", a mais recente obra infanto-juvenil de Tino Freitas, com ilustrações de Thais Beltrame, trata do tema abuso sexual a partir da história de uma filhote de baleia Jubarte.

Além do talento para contar histórias e fazer delas uma aliada no encantamento de novos leitores, o escritor também é líder de uma causa nobre. O projeto Roedores de Livros, que existe desde 2006, em Brasília, desenvolve ações como mediação de leitura, oficinas de artes e música ao vivo, além de dar dicas de livros e outras referências sobre cultura infantil.

A Feira do Livro de Joinville ocorre de 7 a 16 de junho, no Expocentro Edmundo Doubrawa e no Teatro Juarez Machado. Este ano, o evento busca fortalecer os laços entre o Brasil e Portugal, em uma programação que conta com escritores dos dois países. A entrada é gratuita.