Dez reais. Foi isso que custou a ideia original de um professor de Joinville: instalar uma mini-biblioteca pública em frente a sua casa, na rua Barra Velha, no bairro Floresta. Estudioso da criatividade e inspirado nas hortas comunitárias, Jailson Cordeiro (que também atua na área da dança) contou com a ajuda de um amigo para fazer o caixote com prateleira e vidro. Abastecido com livros, surgiu assim a Biblioteca de Muro no ano passado.

O funcionamento é tradicional – pegue emprestado, leia e devolva. Claro, nem sempre o livro retorna, mas Cordeiro garante que a circulação é grande. Hoje, entre 40 e 50 exemplares estão disponíveis na pequena biblioteca, mas ele garante que mais de 400 já passaram por lá, de livros didáticos a revistas.

“Não dá muito pra saber se não devolveram porque não leram ou por outro motivo. Mas essa não é a preocupação também. Muita gente doa livros, então sempre tem exemplares pra todo mundo”, garante Jailson, que em dezembro produziu uma segunda versão da biblioteca, esta, com um pouco mais de investimento.

O objetivo, diz ele, é espalhar a ideia pela cidade, colocando bibliotecas de muro também em comércios que queiram abraçar a ideia. Uma campanha de financiamento coletivo, a ser lançada ainda no primeiro semestre, está nos planos do professor. Enquanto isso não acontece, quem quiser doar livros pode entrar em contato pelo fone/whats (47) 98404-4043.

“Acho que acesso a leitura sempre é uma necessidade das comunidades. Os livros ficam fechados em escolas ou similares, não é um lugar de comum acesso”, percebe Cordeiro.