Um distante planeta extra-solar, isto é, que orbita outra estrela que não nosso Sol, pode ser habitável. Ele fica a cerca de 1,2 mil anos-luz da Terra na direção da constelação de Lira. O planeta chamado Kepler-62f foi alvo de simulações que sugerem: ele poderia ter água em estado líquido na sua superfície, condição essencial para desenvolvimento e manutenção da vida como conhecemos. De um tipo conhecido como “super-Terra”, o Kepler-62f é cerca de 40% maior que o nosso planeta. Os astrônomos consideram altamente provável que ele também seja rochoso como o nosso. Além disso, ele orbita sua estrela na chamada “zona habitável”, em que não está perto nem longe demais para que sua temperatura também possa permitir a existência de água em estado líquido nele. Completando um “ano” a cada 267 dias, o Kepler-62f recebeu essa designação porque é o mais afastado dos cinco planetas que se sabe orbitarem a estrela Kepler-62, com aproximadamente dois terços do tamanho e um quinto do brilho do Sol. Isso faz com que, mesmo estando mais perto da sua estrela que a Terra, ele receba apenas estimados 41% da energia que banha o nosso planeta. “Descobrimos que existem múltiplas composições atmosféricas que permitem a ele ser quente o bastante para ter água líquida na superfície. Isso faz dele um forte candidato a ser um planeta habitável”, afirma Aomawa Shields, astrônoma da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) e líder do estudo. A pesquisa foi publicada na última edição do periódico científico “Astrobiology”. Fonte: Só notícia boa / Extra e O Globo