Não é exagero dizer que uma parcela considerável da história de Joinville passou pela pena de Apolinário Ternes. Umas das referências literárias quanto à trajetória do município – empresarial, política ou cultural -, o jornalista e escritor assinou mais de 30 livros, entre eles as biografias de instituições como ACIJ, Colégio Bom Jesus, Jornal A Notícia e Sociedade Cultural Lírica. Sem contar as três décadas como articulista do AN, papel que deixou de desempenhar em 2016.

Sim, Apolinário, aos 69 anos, está parado, lendo e descansando, mas terá que deixar momentaneamente a poltrona para se dirigir a Florianópolis nesta quinta-feira (10).

Às 19h, na Casa José Boiteux, ele será empossado como o novo dono da cadeira número 8 da Academia Catarinense de Letras (ACL), a mesma que pertenceu a outro joinvilense, o senador Carlos Gomes de Oliveira, morto em 1997. O também joinvilense Crispim Mira, jornalista já falecido, também figura na ACL, mas como patrono.

“Estou muito feliz. É um prêmio que a vida está me dando. Vejo como uma colheita dessa longa carreira como jornalista e historiador”, disse Ternes à Orelhada, sem disfarçar a alegria e o orgulho pela homenagem.