A discografia jaraguaense cresceu mais um pouco em dezembro. No dia 1º, veio a público “Volume 1”, registro de estreia da banda The Outlaw Singers, que desde 2014 enche os bares e casas de show da região com o que se pode chamar de “country fora-da-lei”. As cinco faixas foram direto para o YouTube (AQUI), mas também serão disponibilizadas nas plataformas de streaming.

Gravadas no Estúdio Working Class e sob o mítico selo Abrigo Nuclear Records, elas trazem a rusticidade que o estilo do grupo pede. A imperfeição faz reluzir a sensação de se estar em um saloon (ou boteco) empoeirado vendo quatro músicos destilar um hillbilly com a urgência de quem desvia de um tiroteio. Johnny Cash e Mike Ness (Social Distortion) dariam suas bênçãos a “Outta Texas”, “Strange Old” e “A Todo Vapor”, a única em português.

Além de apresentar os Outlaw Singers para o mundo, “Volume 1” marca uma mudança na formação da banda. Saem Ismael Niels (Estado Deplorável) e o one man band James Dinho e entram Gleverson Lopes (bateria) e Jackson Rosá (baixo), que se unem aos fundadores Gustavo Peitruka (voz, banjo, violão, harmônica) e João Furlani (voz, violão, mandolim).