Agora Jaraguá do Sul tem uma pequena usina solar para todo mundo se orgulhar. Mas vamos com calma, que não é pra abastecer a cidade, mas para servir de modelo de estudos e, claro, abastecer a unidade do IFSC no bairro Rau.
Proteger o meio ambiente, servir de laboratório para estudantes e reduzir o custo mensal da energia elétrica. Esses são os principais benefícios que a usina solar recém-instalada no Campus Jaraguá do Sul-Rau trarão para a instituição a partir de agora.
Com 260 placas fotovoltáicas (que captam a luz do sol e a transformam em energia elétrica), a usina ocupa 500 metros quadrados do telhado do campus e representa uma economia de seis a nove mil reais por mês na conta de luz.
Funcionando desde o dia 20 de outubro, a instalação da usina solar foi coordenada pelo professor Joel Stryhalski. “Esse sistema de geração de energia é extremamente limpo: não precisa de alagamento, não queima carvão, não envolve urânio, não tem poluição. Fica ali gerando eletricidade e ponto final”, destaca.
A única parte que falta é a instalação do relógio bidirecional, para o sistema jogar na rede o excedente em dias de pouco consumo – como sábados, domingos e feriados. Isso vai gerar créditos na conta de luz que compensarão parte do alto consumo de outros dias.
Dessa forma, a conta de luz do Campus Jaraguá do Sul-Rau, que hoje gira em torno de R$ 16 mil por mês, deverá ter uma redução de R$ 6 mil a R$ 9 mil, dependendo do rendimento das placas fotovoltaicas e da quantidade de sol durante o mês.
A usina instalada no campus também deve trazer benefícios acadêmicos, principalmente para os estudantes dos cursos da área elétrica.