Quem assiste aos telejornais da Rede Globo já deve ter reconhecido o jornalista jaraguaense Tiago Scheuer, de 35 anos. O profissional estreou como “homem do tempo” em maio de 2015, no “Hora Um”, mas ganhou notoriedade em março do ano passado, ao cobrir a folga de Maria Júlia Coutinho no Jornal Nacional. Em sua primeira previsão do tempo no principal telejornal da emissora, o jornalista recebeu as boas-vindas de Alexandre Garcia, que dividiu a bancada com Carla Vilhena. O jornalista começou na Globo como repórter nos telejornais locais de São Paulo, especializou-se em previsão do tempo e começou a aparecer em outros como "Bom Dia São Paulo", "Bom Dia Brasil" e "SPTV". Natural de Jaraguá do Sul, Scheuer se formou em Comunicação Social – Jornalismo em 2005, na Universidade do Vale do Itajaí, no litoral catarinense. Ele começou a carreira estagiando na rádio e TV Univali, emissora pertencente à universidade. No mesmo ano, trabalhou na Transamérica Pop Balneário Camboriú. Em 2006, passou a atuar na reportagem da Record Itajaí, inicialmente cobrindo notícias gerais e posteriormente, focando na pauta esportiva. No começo de 2008 foi contratado para trabalhar na RIC TV de Florianópolis. Scheuer permaneceu na RIC até 2010, quando pediu demissão e passou a morar na Alemanha. Lá, ele virou estagiário na rede de televisão Deutsche Welle. Em 2011 o jornalista voltou para o Brasil e começou a atuar na RBS TV Florianópolis. Quatro meses depois, passou a compor a equipe da Globo News e, em seguida, migrou para a Globo São Paulo, onde deu início a produção de reportagens para todos os telejornais. Em maio, passou a comandar a previsão do tempo do " Hora Um da Notícia”, aparecendo nos demais telejornais gradativamente.
Jornalista ao lado da colega Izabella Camargo, do jornal “Hora Um da Notícia” | Foto Divulgação
Nas aparições, ele costuma mencionar a Jaraguá do Sul e falar sobre a previsão meteorológica prevista para o município. Scheuer assumiu oficialmente a previsão do tempo no “Jornal Nacional” nas folgas de Maju Coutinho, que comanda a bancada do “Jornal Hoje” aos sábados. Nas redes sociais, o jornalista é bem humorado e compartilha com os seguidores fotos dos bastidores, das viagens pelo mundo e previsões meteorológicas mais descontraídas. No Instagram, ele tem mais de 62 mil seguidores. Confira a entrevista exclusiva com Tiago Scheuer abaixo: OCP: Escolher a graduação nem sempre é fácil, principalmente quando somos jovens. O que fez você optar pelo jornalismo? Quantos anos você tinha? Já pensou em outra profissão?
Scheuer: Desde pequeno, aos sete anos, já andava pra lá e pra cá com uma câmera de vídeo do meu pai. Meu irmão era o cinegrafista e eu, o repórter, o apresentador e até o mágico. Explorando recursos da câmera, fazíamos objetos "desaparecerem", criávamos histórias, entrevistas. Era um hobby, brincadeira de criança mesmo. À medida que fui crescendo, percebi que esse hobby poderia se tornar minha profissão. Acho que nunca quis outra coisa que não fosse trabalhar com comunicação, principalmente com jornalismo.
OCP: Você começou cobrindo pautas gerais e também passou pela editoria de esportes. Quando e como surgiu a oportunidade de cobrir meteorologia?
Scheuer: Em 2011, vim pra São Paulo, onde participei de várias coberturas como repórter. Mas, no começo de 2015, fui convidado para ser substituto na apresentação da previsão do tempo, entrando em cena nas férias e licenças das apresentadoras titulares. Fiquei surpreso, porque nunca tinha me imaginado nessa função. Mas na mesma hora veio à vontade de descobrir o novo, de me aprofundar num assunto diferente, que move o nosso dia a dia. A previsão do tempo influencia desde a roupa que vamos usar até o preço dos alimentos que compramos no mercado.  Está sendo uma grata surpresa e um aprendizado diário, com a ajuda dos nossos meteorologistas, que sempre nos informam e tiram nossas dúvidas.
OCP: Um homem apresentando a previsão do tempo não era algo tão comum para o público brasileiro. Você sentiu uma recepção positiva? Teve alguma apreensão da sua parte?
Scheuer: Apreensão apenas de fazer um bom trabalho e de estar à altura das nossas apresentadoras, que são impecáveis. Antes de mais nada, somos jornalistas, e nossa função é repassar informações de forma simples, idônea e de fácil compreensão. Na previsão, não tem como ser diferente. Sinto bastante retorno positivo do público. Algumas pessoas até se surpreendem ao ver um homem na função. Mas basta olharmos os telejornais de outros países, muitos contam com homens à frente da previsão. No fim das contas, o que mais importa é a informação. Somos apenas uma ponte entre a informação e o público.
OCP: Nas redes sociais você comenta sobre meteorologia de uma forma mais descontraída. As pessoas pedem muito pra você sobre como vai ficar o tempo?
Scheuer: Acho que todos os dias. Desde que comecei na previsão do tempo, alguém me pergunta: "será que vai chover?". Falo também do tempo "que está bom para colocar a roupa no varal". Muita gente brinca comigo sobre isso, e tem quem não acredite que a preocupação de tirar as roupas do varal também me pertence.
OCP: Qual a sua relação com Jaraguá do Sul? Você ainda visita a cidade?
Scheuer: Jaraguá é minha cidade natal, meu carinho é enorme e eterno por esse lugar. Morei e estudei aí até os 17 anos, antes de me mudar para o litoral para fazer a faculdade. Mas visito Jaraguá com frequência, afinal, minha família ainda mora por aí.
OCP: Em relação ao clima de Jaraguá, você acha que existe alguma peculiaridade?
Scheuer: É uma cidade muito úmida, né?! E onde faz muito calor, sei bem. Sabemos que a combinação de calor e umidade é o combustível para formar as nuvens de chuva. Talvez por isso, o pessoal da região fale tanto sobre chuva.
OCP: Hoje você apresenta a previsão do tempo em um dos maiores telejornais do Brasil, qual é a sua meta profissional para os próximos anos?
Scheuer: Continuar me aperfeiçoando nas funções que exerço. Como apresentador, no estúdio, e como repórter, nas ruas. O bom do jornalismo é que sempre somos desafiados. Todo dia. Raramente um dia de trabalho é parecido com outro.
OCP: Como jornalista, qual é a sua avaliação sobre o ano eleitoral diante da crise política e econômica que o Brasil vive?
Scheuer: Como também sou repórter e acabo participando da cobertura desse momento, acredito que não cabe qualquer manifestação individual de minha parte.
OCP: Como é trabalhar na Rede Globo?
Scheuer: É uma empresa que nos estimula a criar e evoluir o tempo todo. O fato de trabalhar ao lado de grandes referências do jornalismo só me faz querer, cada vez mais, melhorar como profissional. É uma experiência incrível e muito prazerosa.