Era 25 de maio de 1977 quando os cinemas americanos recebiam “Star Wars”, cuja Força se manifestou na bilheteria e na perenidade da série, tanto na indústria do entretenimento quanto no coração do público. Quarenta e um anos depois, a saga continua de pé, apresentando novos pontos de vista, ainda que reciclando velhos personagens, vide “Han Solo – uma História Star Wars”, que entra em cartaz nesta quinta-feira (24).

O filme é notoriamente para os fãs e vai fundo na nostalgia, afinal, a trama se passa antes do longa de 1977 e mostra como Solo conhece Chewbacca e Lando Calrissian e junto a eles forma um grupo que ainda conta com o mentor Tobias (Woody Harrelson) e Qi’ra (Emilia Clarke). Ah, claro, também é revelado como Han se apropria da Millenium Falcon, a nave mais famosa do universo “Star Wars”.

Como se vê, a maioria dos personagens já é manjada, mas as caras são novas. Em especial o pouco conhecido Alden Ehrenreich, que substitui Harrison Ford ao fazer um Han Solo ainda imaturo, mas todo malandro e cheio de sacadas irônicas. Já Lando é interpretado por Donald Glover, que além de fazer sucesso com a série “Atlanta” explodiu no YouTube com o clipe da música “This is America”.

E é preciso destacar o maestro dessa nova incursão: Ron Howard, um especialista em dramas com boa mão para a ação cuja biografia inclui “Cocoon”, “Apollo 13”, “O Código Da Vinci”, “O Grinch” e “Uma Mente Brilhante”, pelo qual ganhou o Oscar de melhor direção.