Oxalá o duo carioca Gorduratrans consiga transpor bloqueios e outras eventuais dificuldades na estrada para chegar à Santa Catarina. Nesta quinta (31), eles encabeçam o Festival Autônom(a), no Porão da Liga, em Joinville, e na sexta (1º) é a vez da Célula, em Florianópolis.

A torcida é para que consigamos ver de perto o noise rock viajante produzido por Felipe Aguiar (guitarra e voz) e Luiz Felipe Marinho (bateria). Seus dois discos disponíveis no Bandcamp são coisa fina para os fãs de Sonic Youth, My Bloody Valentine e outros expoentes do rock alternativo que soterram vocais melancólicos sob toneladas de guitarras distorcidas e inebriantes. Com a diferença de que as canções são em bom português.

Em Joinville, o Gorduratrans estará bem acompanhado. A joinvilense Bomfim, com Marcelo Silva (ex-Ursulla) nos vocais e guitarra, Gabriela de Liz no baixo e vocais e Guilherme Garbin (ex-Superbrava) na bateria, se esbalda no dream pop com fortíssimo traço deprê experimental.

Já a Adorável Clichê, de Blumenau, pega a via das guitarras raivosas. O quarteto liderado pela vocalista Gabrielle Phillipi traz consigo o EP "São Tantos Anos Sem Dizer" (2016), um legítimo exemplar de como o rock alternativo pode ser, ao mesmo tempo, ríspido, doce, suave, intimista e esfuziante.
A casa abre às 21h e os ingressos antecipados podem ser comprados aqui.