Foto Fernanda Mattos
Foto Fernanda Mattos

O maracatu é um ritmo musical, uma dança e também um ritual religioso que teve sua origem no estado de Pernambuco, mas que estendeu por todo o Brasil com sua alegria, atingindo, inclusive, Jaraguá do Sul.

Atualmente, o grupo Aurora do Vale ensaia todos os sábados com os instrumentos que eles mesmos confeccionam.

Devido a sua vasta experiencia com maracatu, Marco Antonio Jaguarito, junto com alguns amigos, montou o grupo e começou a ensaiar.

Quando começaram, os instrumentos eram de escola de samba e eram pegos emprestados do Sesc, mas com o tempo a necessidade de usar os instrumentos adequados foi chegando.

Marco Antonio Jaguarito, professor do grupo | Foto Fernanda Mattos

Sem orçamento para adquirir os itens que precisavam, decidiram comprar materiais alternativos e eles mesmos produziram seus instrumentos. O vasto conhecimento de Marco no maracatu, devido a sua formação e suas pesquisas sobre o assunto em Recife, ajudaram muito na confecção.

Atualmente o Aurora do Vale ensaia todos os sábado no Centro de Artes e Esportes Unificados Mestre Manequinha, das 15h às 17h, com a coordenação de Marco.

O grupo tem entre 15 e 20 participantes, mas qualquer um que quiser participar será bem recebido e convidado a tocar algum instrumento. Se não souber, não tem problema, o "mestre" vai conduzindo o ritmo e os membros mais antigos do grupo trocam dicas e informações.

Último ensaio do Aurora do Vale

Os instrumentos são de uso coletivo, então todos podem usar aquele que preferirem ou que quiserem aprender. Além de aulas práticas,também existe um grupo de pesquisa no IFSC, o "Maracatu: História, música e indumentária", todas as quintas-feiras, das 10h30 ao meio dia.

Até o momento, os integrantes não participaram de nenhum festival de música e dança, mas recentemente receberam o convite para se apresentarem no Festival da Cultura e do Livro de Guaramirim.

Segundo Marco, o grupo esta se solidificando e acredita que daqui a dois meses já estarão todos afiados para a apresentação.

Um dos primeiros ensaio do grupo, quando usavam instrumentos de escola de samba

A idade dos participantes varia de 20 a 50 anos, mas "se aparecer uma criança de cinco anos querendo participar, pode participar também sem problema", diz o professor que está começando a produzir instrumentos de tamanhos menores, justamente para as crianças.

O objetivo do Aurora do Vale é não deixar que as culturas brasileiras sejam esquecidas, desde a Schützenfest, tradicional em Jaraguá do Sul, como também do maracatu e outras danças e festas de outros estados.

Foto Fernanda Mattos

Se você se interessou pelo movimento artístico, pode encontrar o grupo no Instagram ou aparecer em um dos ensaio.

 

Quer receber as notícias do Por Acaso no WhatsApp? Clique aqui!