A greve dos bancários completou um mês nesta quinta (6), e o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Jaraguá do Sul e região ainda não informou previsão de término. Porém, uma assembleia hoje pode definir se a greve chega ao fim ou não.
Por enquanto, na microrregião de Jaraguá do Sul, 22 agências seguem paradas. Veja a baixo a tabela divulgada ontem pelo sindicato:
Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), esta é a maior paralisação da categoria desde 2004. A greve já fechou mais de 13,1 mil agências e 44 centros administrativos, o que representa 55% do total de agências de todo o Brasil.
Historicamente, a greve mais longa da categoria foi em 1951. Durou 69 dias e resultou na criação do dia dos bancários. Desta vez, a greve entra no seu segundo mês. Os bancos e os bancários não conseguem chegar a um acordo sobre o dissídio da categoria.
O presidente do sindicato, Odilon Fernandes, reforça que a greve tem o objetivo não apenas de beneficiar os bancários, mas também todos os clientes. “As reivindicações lutam também por contratações de novos funcionários e investimentos em segurança. Os bancos continuam arrecadando bilhões e não querem investir”, aponta o presidente.
Veja aqui todas as reivindicações da categoria.
O que está funcionando durante a greve? – Estarão funcionando normalmente os caixas eletrônicos de todas as agências, para efetuar pagamentos, depósitos, transferências e outros serviços. Além disso, os pagamentos de contas podem ser realizados nas lotéricas, internet banking (computadores e dispositivos móveis) e qualquer outro correspondente bancário.
Foto: Divulgação
Fonte: G1