A greve dos bancários que começou no início de setembro completa 17 dias nesta quinta (22), e o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Jaraguá do Sul e região não aponta tem nenhuma previsão para o término do movimento.
Segundo o presidente do sindicato, Odilon Fernandes, a greve foi intensificada em todo o país em resposta ao silêncio dos banqueiros na retomada de negociações com a categoria. "No Brasil a adesão chega a superar os 50%, e a expectativa é cada dia as paralisações tomem maior proporção para pressionar a Federação Nacional dos Bancos a novas negociações", diz Fernandes.
Em Jaraguá do Sul as paralisações estão com uma adesão de aproximadamente 90%, funcionando apenas o Banrisul, Bradesco anexo à Weg II e as agências da Caixa Econômica Federal da Barra do Rio Cerro e da Marechal Deodoro da Fonseca, ao lado do Centro de Imagem.
Na região, o percentual chega próximo dos 80%. Em Corupá, apenas a agência da Caixa está funcionando. Em Guaramirim a adesão é de 100%. Já em Massaranduba os bancos em funcionamento são Banco do Brasil e Caixa. Por fim, em Schroeder apenas o Bradesco segue sem atendimento.
Fernandes reforça que a greve tem o objetivo não apenas de beneficiar os bancários, mas também todos os clientes. "As reivindicações lutam também por contratações de novos funcionários e investimentos em segurança. Os bancos continuam arrecadando bilhões e não querem investir", aponta o presidente.
Veja aqui todas as reivindicações da categoria.
O que está funcionando durante a greve? – Estarão funcionando normalmente os caixas eletrônicos de todas as agências, para efetuar pagamentos, depósitos, transferências e outros serviços. Além disso, os pagamentos de contas podem ser realizados nas lotéricas, internet banking (computadores e dispositivos móveis) e qualquer outro correspondente bancário.
Foto: Divulgação