Nesta segunda-feira, a jaraguaense Luciane da Silva vai passar por um procedimento inédito em Santa Catarina. Ela, que está grávida de 23 semanas, será submetida a uma correção intrauterina de mielomeningocele.

A mielomeningocele é uma má formação da coluna que ocorre já nos primeiros meses de gestação e atinge cerca de 3 a cada 10 mil nascidos vivos.

O procedimento é inédito no estado, pois o SUS não realiza o procedimento em Santa Catarina e os convênios médicos só pagam a operação, com custo aproximado de R$ 80 mil, judicialmente.

A Associação de Amigos, Pais e Portadores de Mielomeningocele (AAPPM), em conjunto com o obstetra Daniel Bruns, de Blumenau, e o médico Charles Kondageski, de Florianópolis, com o apoio do Hospital Santa Catarina, oferecerá a operação de forma gratuita para Luciane.

Normalmente, assim que o bebê nasce é realizado o fechamento cirúrgico da lesão. A cirurgia intrauterina fechará a coluna antes do bebê nascer. Com isso, cai de 82% para 40% a necessidade de a criança precisar colocar uma válvula no cérebro para tratar a hidrocefalia, que está associada à mielomeningocele.

O procedimento envolve riscos: pode haver descolamento de placenta, e a mãe pode ter complicações como edema de pulmão e trombose, por se tratar de cirurgia muito delicada e longa.

Fonte: O Município Blumenau