O casal Yara e Fernando Springmann, integrantes da primeira orquestra e fundadores da Sociedade Cultura Artística (Scar), receberão no sábado (24) a maior honraria da área cultural em Santa Catarina: a Medalha do Mérito Cultural Cruz e Sousa. A cerimônia de entrega acontecerá no Centro de Artes (Ceart) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em Florianópolis.

Concedida pelo Governo do Estado de Santa Catarina, a comenda é definida por consulta pública a partir de indicação feita pelo Conselho Estadual de Cultura.  Ela é concedida a autores de obras literárias, artísticas, educacionais ou científicas relativas ao Estado e reconhecidas pela sociedade, ou a quem tenha contribuído por outros meios e de modo eficaz para o enriquecimento ou a defesa do patrimônio artístico e cultural do Estado.

Na década de 1950, em Jaraguá do Sul, a música já ultrapassava os limites das paredes da sala de piano de Adélia Piazera Fischer, quando ela, ao lado do marido, Francisco, e dos filhos Yara e Guido, formavam um quarteto para animar as noites da família.

Adélia e Yara se revezavam ao piano, enquanto os homens tocavam violino. Logo, outros familiares e amigos se juntaram ao grupo, que acabou se tornando a pequena orquestra que deu origem a Scar.

Quando chegou à cidade, sem conhecer ninguém, Fernando Springmann passava suas noites na companhia de um violino em um quarto alugado. Logo, o jovem médico foi recrutado para a orquestra, onde fez amizades e se encantou com Yara.

A história de amor do casal se confunde com a Scar. Namoro, casamento, filhos e netos vieram entre a medicina, as aulas de piano, os concertos e o desenvolvimento da entidade, hoje uma das referências culturais de Santa Catarina. Fernando foi o primeiro presidente, Yara a principal responsável pela retomada, nos anos 2000, da Orquestra Filarmônica, em atividade até hoje.

E como amor de verdade é para sempre, o casal apaixonado ainda frequenta com o mesmo entusiasmo os concertos no Centro Cultural e as reuniões de sócios da Scar.